Cidades

Operação Violare do Agosto Lilás prende cerca de 151 pessoas

O objetivo da ação é cumprir mandados de prisão contra autores de violência sexual contra mulheres

diario da manha
Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), deflagrou nesta semana em todo território goiano, a Operação Violare, que faz parte do chamado “Agosto Lilás”, uma agenda nacional de combate à violência contra mulher.

O objetivo dessa ação é cumprir mandados de prisão contra autores de violência sexual contra mulheres, como estupro de vulnerável e o chamado “estupro de rua” que é quando o autor aborda aleatoriamente a vítima e, além disso, dos que já tinham prisões decretada pela Justiça.

Mais de 900 policiais civis participam da operação, que teve início na última segunda-feira (26/8). Cerca de 151 homens foram detidos, entre eles estão homens idosos, com mais e 60 anos, que são avós, pais e padastros das vítimas.

Mulher presa na operação que faz parte do Agosto lilás

Entre os presos na operação, está uma mulher de 59 anos, que permitiu que o neto fosse abusado sexualmente, em Piracanjuba, na Região Sul do estado, à 87 quilômetros da capital.

Segundo as investigações, em 2013 a mulher deixou que o neto, que na época tinha 13 anos, fosse explorado sexualmente por outras pessoas. A mulher foi condenada a mais de nove anos de prisão e progrediu no regime semiaberto, mas deixou de cumprir os requisitos para continuar cumprindo parte da pena em liberdade.

Outros casos da Operação Violare

Em outro caso, em Padre Bernardo, na Região Leste de Goiás, uma menina de 13 anos foi abusada durante vários anos por um homem de 60 anos, que era amigo da família dela, a adolescente está grávida do autor.

O autor, conhecido da família há mais de 20 anos, frequentemente agradava a criança com dinheiro e doces. Ele confessou que mantinha relações sexuais com a vítima e admitiu a possibilidade de ter engravidado a menina.

Já em Rialma, na Região Central do Estado, dois homens foram presos por mandado de prisão temporária. Um deles é investigado por estupro de vulnerável de duas enteadas, o outro teria se aproveitado de uma criança enquanto eles banhavam em um rio da região.

Em Ceres, na mesma região, um avô foi preso por estuprar a neta de dois anos. Os abusos foram confirmados por exames periciais. Em Cristalina, um idoso de 74 anos foi preso por estuprar uma menina de 14 anos.

Já em Itumbiara, na Região Sul, um homem de 42 anos que estava foragido desde 2015, foi preso por molestar a enteada e, no mesmo município, um menino de nove anos denunciou o próprio pai, por ter sido molestado por ele. Na mesma cidade, foi cumprido um mandado de prisão preventiva de um idoso de 80 anos que estava foragido desde 2012.

Comentários