Cidades

PM desativa laboratório de entorpecentes em Goiânia

Durante a abordagem, Guilherme confessou que estava fabricando e comercializando entorpecentes, ele ainda indicou o local onde seria feita a fabricação.

diario da manha
Foto: Reprodução

Informações repassadas ao 42° Batalhão da Polícia Militar do Estado de Goiás (BPMGO), na tarde da última quinta-feira (01/8), através do Disque Denúncias, indicaram um homem que comercializava entorpecentes, no Jardim Clarissa, em Goiânia. Depois de repassadas as características do possível traficante e do veículo que ele utilizava, a Equipe Tático da PM, intensificou o patrulhamento na região.

Ao se deparar com um indivíduo com as mesmas características repassadas, trafegando em um veículo CITROEN/C3 com placa da cidade de São Paulo/Sp, os policiais fizeram a abordagem e, ao fazer a busca veicular ficou constatado que se tratava de Guilherme Lima de Sousa, de 23 anos, que já possuía passagens pelos artigos 28 e 157 do Código Penal Brasileiro e artigo 33 Lei 11353/06.

De acordo com os policiais durante a abordagem Guilherme confessou que estava fabricando e comercializando entorpecentes, ele ainda indicou o local onde seria feita a fabricação, que segundo ele seria na Rua Jorge Miguel, no Jardim Clarissa, em Goiânia.

Segundo informações da PM, durante a varredura no local indicado pelo traficante, os policiais encontraram em um cômodo da casa, várias vasilhas com crack, uma quantia pequena de maconha, seis tabletes de cocaína e pasta base e, além disso, três balanças de precisão.

Suspeito foi preso em flagrante por tráfico de entorpecentes

No local também foi encontrado um caderno de anotações, onde estava anotado a contabilidade da droga que era comercializada no local e uma quantia de R$ 11.900 em espécie. Além disso, foram encontrados alguns materiais usados para o refino e multiplicação dos entorpecentes.

A voz de prisão foi dada a Guilherme de Sousa por tráfico de entorpecentes, ele foi conduzido para a Central de Flagrantes junto com todo material aprendido na casa. O laudo pericial confirmou 17.475 kg de cocaína, 8.070 kg de material não identificado e 33g de maconha.

Comentários