Cidades

Sobrinho que matou a própria tia no Distrito Federal tem crime classificado como feminicídio

A idosa passou quatro dias no DF e dormia nos fundos da casa dos parentes, quando o feminicídio aconteceu

diario da manha
Foto: Reprodução

O caso do homem de 38 anos que matou a esposa de seu tio na última quinta-feira (08/8), foi reclassificado como feminicídio pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o crime aconteceu em um condomínio do Paranoá, na DF-250, entorno do DF.

A delegada da 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá, Jane Klébia, responsável pelo caso, afirma que o motivo da mudança da ocorrência é em função do grupo familiar, já que Maria Almeida do Vale de 68 anos, era tia de consideração do suspeito e, além disso, foi considerado a fragilidade da vítima que era uma pessoa idosa.

O suspeito foi preso na noite da última sexta-feira (09/8), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na estação rodoviária de Ouricuri, no Sertão de Pernambuco, quando estava dentro de um ônibus interestadual. Fábio chegará no DF neste domingo (11/8), ele seria indiciado inicialmente por homicídio, porém a delegada Jane Klébia reconsiderou.

Maria foi brutalmente assassinada dentro da casa de parentes. A idosa era de Minas Gerais e estava em Brasília para visitar os familiares, ela voltaria para a terra natal ainda na quinta-feira, mas foi encontrada morta em um barracão nos fundos da residência onde estava. Alguns momentos depois do crime o suspeito embarcou em um ônibus com destino ao Piauí e depois pegou outro em direção a Pernambuco.

Os policiais conseguiram descobrir o trajeto da viagem e localizar o homem em Ouricuri, com o apoio da PCDF e da PRF. Segundo o suspeito ele seguiria para Caruaru, no Agreste de Pernambuco e depois para Alagoas. Ele foi detido e encaminhado à delegacia da Polícia Civil da região.

Além do feminicídio o suspeito pegou dinheiro da vítima

A idosa passou quatro dias no DF e dormia nos fundos da casa dos parentes, quando o feminicídio aconteceu. O suspeito estava no quarto ao lado e no momento do crime, a família que estava na residência da frente não ouviu nada. A vítima foi achada morta com capacete, uma camisa na cabeça e estava enrolada em cobertores.

A suspeita é de que ela teria sido estrangulada até a morte. “Ela estava vestida com uma camisa camuflada e uma calça de moletom masculina que eram dele. Há muitos sinais de agressão na cabeça, no corpo”, afirmou a delegada Jane Klébia.

Além disso, criminoso levou R$ 600 da própria mãe e R$ 200 da vítima, ele seria dependente de cocaína. De acordo com a família, ele usa drogas desde os 13 anos de idade. Segundo Alcenir Ribeiro dos Santos de 54 anos, que é um dos parentes do acusado, ele sempre foi uma pessoa tranquila e o mal que ele fazia era para ele mesmo.

De acordo com a delegada quando chegaram ao local do crime, agentes da 6ª DP se depararam com uma cena chocante. “Pode ser que ele tenha a agredido com esse capacete. Havia muito sangue e cabelo da vítima espalhados pelo chão e também nas paredes”, detalhou.

Não se sabe o momento exato que o crime ocorreu, mas os investigadores acreditam que Maria tenha sido assassinada entre a madrugada e a manhã do dia (08/8). O motivo do assassinato também não foi identificado pelos policiais e, é possível que o suspeito tenha surtado.

Com informações do Metrópoles

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO