Cidades

Música ao vivo dá ânimo a pacientes, acompanhantes e profissionais do Hugo

A iniciativa buscou levar emoção, alegria e esperança aos pacientes internados que não poderão participar dos outros eventos destinados à celebração do Natal e da chegada do novo ano

diario da manha

Uma atividade musical ao vivo por todo o hospital Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdomiro Cruz (Hugo) fez a diferença durante o horário de visitas, nesta segunda-feira (23), durante a programação natalina do hospital. Desde locais como Unidade de Terapia Intensiva, até corredores e quartos de enfermaria, foram visitados por um trio de cantores da Igreja Batista Santos Dumont. 

A iniciativa buscou levar emoção, alegria e esperança aos pacientes internados que não poderão participar dos outros eventos  destinados à celebração do Natal e da chegada do novo ano.

Os cantores fizeram uma viagem por ritmos, como sertanejo, MPB e gospel. A música em voz, violão e percussão emocionou quem estava com parente internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e precisava de uma oportunidade como essa, para trazer mais paz ao coração. “Nós estamos fragilizados e precisamos de algo assim para dar suporte emocional e psicológico. Ações como essas são muito bem-vindas”, disse Gisele Alcântara, de 38 anos, que visitava o pai nesta tarde.

Risos, lágrimas de felicidade, abraços, palmas e todos cantando juntos. Esse era o clima do “Musicalidade ao vivo pelo Hospital”, que foi ao Centro Cirúrgico, um dos locais mais tensos do hospital, e arrancou até um instante de dança de enfermeiras e técnicas. Foi ao som da música de Bruno e Marrone que todas dançaram juntas.

De acordo com o cantor Daniel Santana, a participação foi uma experiência incrível. “Nossa ideia é trazer um pouco de conforto e esperança para quem está acamado, para quem acompanha esses pacientes e até para quem trabalha. Essa experiência é a primeira e surpreendeu muito positivamente,” comentou.

Segundo a diretora-geral, Dulce Xavier, a ideia é quebrar o gelo que existe no ambiente hospitalar. “Não deixaremos de ter um atendimento sério, de respeito e com responsabilidade, se isso acontece. Pelo contrário, estamos respeitando ainda mais o emocional de quem está aqui, com atividades e ações mais humanizadas. Esse tipo de tratamento faz com que o período de internação seja até reduzido”, disse. No próximo ano, vamos realizar eventos mensais para tentar transformar o ambiente hospitalar em um lugar mais agradável e leve. Vamos proporcionar para o paciente um cuidado mais amplo”, finalizou.

Comentários