Cidades

Iris investe R$ 5,5 milhões em reforma de escolas e creches

Reforma em 311 prédios da Secretaria Municipal de Educação garante bom ambiente de aprendizagem para alunos e de trabalho para professores

diario da manha

A educação municipal em Goiânia vem recebendo um impulso que vai potencializar os resultados da formação básica de seus alunos. Sob comando e determinação do prefeito Iris Rezende, o secretário de Educação, Marcelo Costa, está promovendo um mix de investimento em formação profissional e requalificação física das unidades do Município. Somente em 2019 a Prefeitura investiu R$ 5,5 milhões na reforma de 311 escolas e creches da capital, totalizando cerca de 80% das unidades de ensino. Soma-se a isso as unidades que estão em construção e que ainda serão construídas ao longo de 2020 e chega-se ao resultado: mais qualidade na educação ofertada aos moradores de Goiânia. 

Estudos científicos comprovam que um dos precedentes para a melhoria da qualidade do ensino é o bom estado de conservação física das unidades. O ambiente importa. E Goiânia tem dado exemplo na conservação de suas escolas e centros municipais de Educação Infantil (Cmeis). 

“Educação é uma das prioridades de nossa gestão. Estamos concluindo a construção de diversos Cmeis que estavam com obras paralisadas desde 2015 e ainda investimos na construção de novos, mas sem perder de vista a conservação das unidades já existentes. Nosso objetivo é dar boa qualidade de ensino, em boas instalações, para todo aluno matriculado na rede municipal de ensino”, afirma o prefeito Iris Rezende. 

Escola Viva

2019 foi o terceiro ano consecutivo em que a Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), desenvolveu o Programa Escola Viva, no qual as instituições recebem repasse de verbas destinado à manutenção predial das unidades.

Em 2019, o projeto viabilizou R$ 5,5 milhões para reparos de pintura, revisão elétrica e hidráulica, troca de telhado e demais adequações em 163 escolas e 148 Cmeis da capital, totalizando 311 unidades educacionais. Todas as instituições de ensino (exceto convênios parciais) que possuem Conselho Gestor formado receberam o repasse de verbas. O Conselho Gestor é formado por pais, professores e servidores administrativos e é responsável por fiscalizar a aplicação dos recursos destinados para as unidades.

Exemplo dos benefícios que o Escola Viva leva a cada unidade de ensino é o Cmei Nossa Senhora Aparecida, localizado no Setor São Domingos, região Noroeste. A instituição passou por reformas no pátio, nos parquinhos para crianças da primeira infância e pré-escola, construção de rampas de acessibilidade, instalação de alambrados no estacionamento, colocação de cerâmica nas áreas externas, construção de calçada, pintura geral, reforma dos banheiros e a construção de uma central de gás. O Cmei atende 120 alunos entre um e quatro anos de idade. Para a diretora da unidade, Walquíria Gomes, “houve uma mudança significativa nos espaços do Cmei, podemos dizer que é outro”.

Outra instituição que foi amplamente reformada pelo programa foi a Escola Municipal Jalles Machado de Siqueira, localizada no Jardim Bela Vista, região Sul de Goiânia. Rony William de Souza, diretor da unidade e responsável por gerir o recurso repassado pela SME, conta que refez toda a pintura externa do local, consertou duas tendas utilizadas dentro do pátio, pintou a sala de leitura, trocou o telhado e reformou as portas e janelas do banheiro masculino. A escola atende cerca de 500 alunos e possui desde a Educação Infantil (pré-escola) até o Ciclo III do Ensino Fundamental, além da modalidade de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja), funcionando nos períodos matutino, vespertino e noturno.

Escola Viva 2020

Para 2020, a previsão inicial é de aplicação do mesmo orçamento do ano anterior. A diferença é que algumas escolas do governo estadual foram municipalizadas, sendo assim de responsabilidade da SME, e outras instituições estão em construção, com a retomada das onze obras. Para essas, assim que os Conselhos Gestores forem formados e registrados, haverá a liberação de novo recurso do Escola Viva.

Já o Programa Escola Acessível é uma iniciativa de cunho federal que tem por objetivo promover condições de acessibilidade ao ambiente físico, recursos didáticos e pedagógicos e à comunicação e informação nas escolas públicas de ensino regular. Em Goiânia, além dos recursos do Governo Federal, a SME disponibiliza dentro do Escola Viva as verbas para as adequações físicas das unidades de ensino.

Em 2019, todas as unidades com Conselho Gestor receberam verbas do projeto. Uma delas é a Escola Municipal de Tempo Integral Professora Maria Nosídia Palmeiras das Neves, no Residencial Barravento, região Noroeste. A unidade passou por reformas de acessibilidade que contaram com colocação de piso tátil, corrimões e fitas antiderrapante, troca de vasos sanitários e bebedouros acessíveis. A escola atende cerca de 294 alunos, em dez agrupamentos dos Ciclos I e II do Ensino Fundamental.

O Programa Escola Viva foi uma das primeiras ações implementadas pela nova gestão municipal na área da Educação. Já em 2017, todas as 304 instituições, com conselho de gestão escolar, receberam repasse do projeto, totalizando quase R$ 4 milhões investidos. Em 2018, o procedimento se repetiu e todas as 304 unidades receberam verbas, com investimento do mesmo valor.

tags:

Comentários