Cidades

Mãe é presa após ser filmada agredindo filha de sete anos

Segundo a PM, a menina foi agredida pois estava brincando com camisinhas que encontrou pela casa e o vídeo foi filmado pelo ex-marido

diario da manha

Uma mulher de 25 anos foi presa após ser filmada agredindo a filha de sete anos com um fio de extensão após ela encontrar preservativos na casa e pegar para brincar sem a autorização da mãe, em Montes Claros (MG). A polícia revelou que as agressões foram incitadas e gravadas pelo ex-marido que também foi preso.

Nas imagens, a mulher questiona a filha sobre algo que ela teria pegado que, segundo a polícia, se referia à camisinhas que a menina encontrou. A criança nega a responder e é agredida com tapas e fios.

O cabo da Polícia Militar (PM), José Fernandes alegou que a criança foi agredida com socos na cabeça e apresentou sangramento no nariz e na boca. Segundo ele, a criança relatou que foi agredida outras vezes pela mãe mas, após o contato com familiares, afirmou na delegacia ser a primeira vez.

De acordo com a PM, o vídeo foi gravado no início da tarde da última segunda-feira (13). O homem, que tem mais dois filhos com a mulher, foi até a casa dela entregar leite para as crianças quando flagrou a cena. Ele fez as imagens e usou para ameaçar a mulher no sentido de reatar o casamento que havia terminado há um ano.

Segundo o cabo, o homem procurou a mulher durante a noite para chantagear e houve uma discussão entre eles. O homem acionou a PM afirmando que estava sendo incomodado pela mulher que estaria chutando o portão da casa dele. Durante o atendimento, a polícia questionou o motivo e o homem mostrou o vídeo.

Segundo a PM, os dois foram presos em flagrante e a criança foi encaminhada ao Instituto Médico Legal para realizar o exame de corpo delito. Ela ficou sob a responsabilidade de um tia e a extensão usada nas agressões foi apreendida na delegacia.

Investigação

A Polícia Civil deu início nas investigações do caso e a delegada, Mônica Paiva, alegou que o homem foi preso por tentativa de extorsão e a mulher por tortura. Ela foi levada para o presídio de Itacarambi e o homem para Bocaiuva.

Defesa diz que agressões foram provocadas pelo ex-marido

A advogada, Edna Maria Oliveira Gomes, responsável pela defesa da mãe da criança, apresentou que as agressões foram provocadas pelo ex-companheiro da mulher que já estava perturbando ela. Ao perceber que estava corrigindo a criança ele começou a filmar e incentivar as agressões para chantageá-la.

Segundo ela, a mulher não notou que estava sendo filmada e estava corrigindo a criança pois ela teria encontrado um preservativo na rua e levado para casa. A advogada afirmou que vai entrar com um pedido de habeas corpus nesta quarta-feira (15).

*Com informações do G1

Comentários