Cidades

Deputado articula para reduzir mensalidades de escolas e faculdades particulares durante a pandemia

diario da manha

Há mais de dois meses sem aulas presenciais devido aos riscos de contágio do novo coronavírus, causador da Covid-19, muitos alunos de faculdade e escolas particulares reclamam de estar pagando o valor total da mensalidade. Após receber inúmeros pedidos de pais e de alunos, o deputado estadual delegado Humberto Teófilo (PSL), está articulado com alguns diretores dessas unidades de ensino para discutir a redução das mensalidades em meio ao período de pandemia. O parlamentar está visitando as unidades de ensino juntamente com os advogados Sebastião Justo e Amarildo Filho, conclamando para que as instituições deem até 30% desconto nas mensalidades.

Humberto Teófilo destacou que o momento é de união e ressaltou que é necessário um entendimento. Para ele, é um melhor caminho do que levar para Justiça.  “Em algumas instituições tanto aqui de Goiânia e algumas no interior que estamos visitando, as conversas estão bem adiantadas, há sinalizações de que chegaremos a um acordo nos próximos dias e as escolas estão entendendo que é necessário fazer essa redução, pois todo mundo está tendo corte nos salários e dificuldades”, disse o deputado.

Alguns estudantes alegam que houve mudança na modalidade de ensino, de presencial para online e que, por isso, as mensalidades deveriam ser revistas. “O que de fato queremos que a instituição olhe para a classe acadêmica nesse momento tão delicado. Tem alunos que trabalham para pagar a faculdade e que sofreram com corte nos salários, como fica a situação deles?”, disse Ana Clara Bastos, estudante de fisioterapia. 

De acordo com o deputado do PSL é injusta a cobrança do valor cheio da mensalidade nesse momento de crise, alega ainda que busca entendimento para não quebrar o setor e, ao mesmo tempo, contemplar os pais e alunos que estão passando por um momento de redução em suas finanças. “Dessa forma é justo que a mensalidades sejam reduzidas em vista que os estabelecimentos de ensino terão menos despesas operacionais”, justificou o parlamentar

Comentários