Cidades

Farmácias são fiscalizadas pelo Procon em Goiânia

As equipes verificam data de validade de remédios e preços abusivos referentes aos medicamentos para o combate à gripe, resfriado, febre e dor de cabeça. Além disso, também observam se os preços dos produtos estão dispostos corretamente nas prateleiras e se correspondem ao valor cobrado no caixa

diario da manha
Foto: Reprodução

A Prefeitura de Goiânia divulgou nesta segunda-feira (15) que o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) Municipal continuará fiscalizando drogarias e farmácias da capital nos próximos dias. As equipes verificam data de validade de remédios e preços abusivos referentes aos medicamentos para o combate à gripe, resfriado, febre e dor de cabeça.

Além disso, também observam se os preços dos produtos estão dispostos corretamente nas prateleiras e se correspondem ao valor cobrado no caixa.

Conforme o site da Prefeitura, esta operação do Procon começou no dia 1º de junho e agora deve ser intensificada. Até o momento, a equipe já passou em 78 farmácias. Cerca de 41 estabelecimentos foram autuados, dos quais foram expedidos 34 autos de infração referentes à ausência de precificação em produtos.

Dentre os itens estão: fraldas, creme de hidratação, tinta para cabelo, protetor solar escovas dentais. Além disso, foram determinados sete autos por comercialização de remédios fora do prazo de validade.

Após a autuação das farmácias, o órgão permite que os proprietários apresentem uma defesa dentr do prazo de dez dias. Conforme a gravidade e o faturamento do local, o valor da multa pode chegar até R$ 10 milhões.

De acordo com o portal, o Procon recomenda atenção aos consumidores para que não comprem produtos fora do vencimento. Acrescenta ainda que a denúncia da falta de precificação pode ser feita por meio do seguinte número: (62) 3524-2942. O contato deve ser realizado de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h.

Comentários