Cidades

Golpe por aplicativo rendeu mais de R$ 500 mil a presidiários

Usando aplicativos, detentos conseguiam fotos de profissionais liberais, juízes, promotores, desembargadores, para aplicar golpes em familiares

diario da manha
Foto: Reprodução

Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), foram descobertos criminosos presos que aprimoraram o golpe “bença tia”, para persuadir famílias de profissionais que movimentam altas quantias, como desembargadores, juízes, médicos, entre outros. Em cinco meses de atuações o golpe teria movimentado a quantia de mais de R$ 500 aos suspeitos.

De acordo com o site Metrópoles, a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), em conjunto como o Ministério da Justiça, investigaram que, após conseguirem dados sigilosos de vários profissionais, os detentos criavam uma conta falsa em um aplicativo de mensagens, produziam um perfil de determinada pessoa e buscavam contato com familiares das vítimas para pedir dinheiro.

Para a delegada Sabrina Lélis, titular da DERCC, o grupo criminoso era tão organizado que usava textos diferentes na abordagem às vítimas.

“A conversa era sempre a mesma, que haviam excedido o limite das transferências diárias, e que precisavam quitar débitos de altos valores naquele dia. O que chamou nossa atenção foi que estes criminosos tinham, junto com dados das pessoas que fingiam ser, diferentes textos, que eram usados de acordo com a profissão daquelas pessoas”, declarou a delegada.

Comentários