Cidades

Polícia Civil conclui investigação sobre caso Murilo e prende mentor intelectual do crime

O suspeito teve a prisão temporária no dia 02 de outubro e está sendo indiciado por latrocínio

diario da manha
Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (1º), a Polícia Civil de Goiás (PCGO), encerrou as investigações sobre a morte de Murilo Ramos de Souza, 25 anos, desaparecido e morto após sair de sua cidade Itapuranga, com destino a Ceres para um encontro romântico.

De acordo com as apurações da força-tarefa composta pelo Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Anápolis, o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Itaberaí e as Delegacias de Polícia de Ceres e Itapuranga, o mentor intelectual do crime é Victor Hugo de Sousa Pereira, vulgo “Sonic”, de 21 anos.

Relembre o caso Murilo

A vítima desapareceu na noite do dia 26 de setembro deste ano, quando teria saído de casa conduzindo um veículo da marca Hyundai Ix-35 e dito a pessoas próximas que se encontraria com uma menina em Ceres, cidade vizinha de Itapuranga onde ele morava.

Já na madrugada do dia 27, quatro suspeitos foram mortos durante um confronto com a Polícia Militar de Anápolis. Os suspeitos estavam com o carro de Murilo Ramos de Souza que ficou mais de uma semana desaparecido.

No dia 08 de outubro o corpo do estudante foi encontrado em uma propriedade rural às margens da Rodovia GO-530. De acordo com a perícia, a causa da morte foi um traumatismo craniano como provocado por uma ação contundente.

Uma força-tarefa foi montada para para investigar as circunstâncias da morte do rapaz e as apurações mostram que após deixar sua residência aproximadamente às 21h, a vítima foi a um bar, sozinho e cerca de uma hora depois foi até a cidade de Ceres, ao “mirante”, onde permaneceu por 15 minutos.

Segundo testemunhas que estavam no Mirante, Murilo conversando com quatro indivíduos no local e saiu na companhia de todos eles, de carro. Na madrugada do dia 27 câmeras de monitoramento de um comércio capturaram o carro chegando na cidade de Anápolis pela BR-153.

Em seguida, o automóvel com Murilo e os 04 suspeitos passou pela Rodovia GO-530, sentido ao distrito de Joanápolis. Outras câmeras de segurança flagram a passagem e dez minutos depois o retorno do veículo a cerca de 2 km do local onde o corpo de Murilo foi encontrado. Confira:

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Conforme as apurações, após deixarem o corpo da vítima, os quatro homens, armados, se dirigiram para uma casa no Setor Granville, em Anápolis. Uma equipe da Polícia Militar já estava no local, houve confronto e os quatro suspeitos acabaram morrendo durante a troca de tiros.

Idealizador do latrocínio

Após as investigações a Polícia Civil chegou ao autor intelectual do crime, identificado como Victor Hugo de Sousa Pereira, de 21 anos. As apurações apontam que ele teria reunido os quatro suspeitos mortos no confronto para praticar o roubo contra Murilo.

A partir de conversas que estavam nos celulares apreendidos, a polícia concluiu que Victor Hugo controlava a situação e recebia as atualizações sobre o andamento do crime. Em uma mensagem de áudio é possível perceber a irritação do suspeito ao saber da morte dos seus comparsas, “isso não ficaria assim”, afirma em dado momento.

Suspeito – Foto:Reprodução/Polícia Civil

A prisão temporária de Victor Hugo ocorreu no dia 02 de outubro. Segundo a polícia, o sigilo sobre a prisão dele foi mantido para não prejudicar as investigações. O suspeito já possuía passagens por roubo e porte ilegal de arma de fogo.

Agora ele foi indiciado pela prática de latrocínio, com pena que pode chegar a 30 anos de reclusão. Na manhã de hoje (1º), a prisão temporária de Victor Hugo foi convertida em prisão preventiva.

Comentários