Cidades

Ex-lider de grupo de escotismo é denunciado por abuso sexual de menino de 12 anos

O templo, localizado na Asa Sul, se adiantou e expulsou o homem da congregação. A denúncia foi feita pelo próprio garoto com apoio dos amigos

diario da manha

Um menino de apenas 12 anos, com apoio de amigos, acionou a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) para denunciar o martírio sofrido durante três anos de abusos sexuais cometidos pelo próprio padrasto.

Segundo noticiado pelo Metrópoles, o caso de pedofilia envolve um ex-líder voluntário de uma equipe formada por jovens vinculada a uma igreja evangélica de abrangência mundial, que tem como um de seus maiores ministérios justamente o da juventude. O suspeito também esteve à frente de um grupo de escotismo, do qual a vítima fazia parte.

O templo, localizado na Asa Sul, se adiantou e expulsou o homem da congregação. O nome da igreja e do suspeito em sigilo para preservar a identidade da vítima.

O padastro teria cometido os abusos em uma chácara de sua propriedade, situada na zona rural de São Sebastião, onde também ocorriam atividades ligadas ao escotismo. A violência sexual começou quando o menino tinha apenas 9 anos e perdurou até ele completar 12.

Segundo informações, o homem se relacionou com a mãe da criança durante quatro anos, três deles suspostamente violentando a vítima.

Comentários