Cidades

PF investiga grupo suspeito de extrair madeira em terras índigenas ilegalmente

Os envolvidos podem ser enquadrados nos crimes de associação criminosa, desmatamento e usurpação de bens da União

diario da manha

Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (15) a Operação Igarapé, tendo como alvo um grupo investigado pela extração ilegal de madeira em terras indígenas. Conforme informações do portal IG, quatro mandados de busca e apreensão são cumpridos nas cidades de Ministro Andreazza e Cacoal, em Rondônia.

As investigações tiveram início a partir de mensagens encontradas em celulares apreendidos em outra investigação contra um grupo de madeireiros, informou a PF. As diligências foram autorizadas pela 1ª Vara Federal de Ji-Paraná (RO).

A extração ilegal ocorreria nas terras Indígenas Igarapé Lourdes e Sete de Setembro. Segundo a PF, pelas mensagens “foi possível identificar a forma de atuação do grupo, os responsáveis pelos maquinários utilizados no desmatamento e os donos de serrarias receptoras da madeira extraída ilegalmente”.

A polícia disse que o grupo contava com a colaboração de indígenas, que atuavam para conceder autorizações de entrada nas terras e de alertar sobre a presença de fiscais.

Os envolvidos podem ser enquadrados nos crimes de associação criminosa, desmatamento e usurpação de bens da União. Em seu mais recente levantamento, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) constatou um aumento de 9,5% no desmatamento na Amazônia no período entre agosto de 2019 e julho de 2020, na comparação com o mesmo período anterior.

Comentários