Cidades

Homem suspeito de roubo e estupro de mulher é preso em Aparecida de Goiânia

O homem, 22 anos, roubou o celular da vítima, 30 anos, e a obrigou praticar sexo oral nele. A mulher voltava do trabalho quando foi abordada pelo suspeito

diario da manha

A Polícia Civil de Aparecida de Goiânia, prendeu, na última sexta-feira (15), um homem, de 22 anos, suspeito pelos crimes de roubo e estupro. O caso ocorreu no dia 7 de janeiro deste ano, por volta de 23h30min.

Segundo investigações, o suspeito encontrou a vítima, uma mulher de 30 anos, retornando do trabalho, no Setor Colonial Sul, em Aparecida, quando decidiu abordá-la.

O homem, segundo a vítima, exigiu que ela lhe entregasse o celular, o que foi atendido. Após isso, ele exigiu que a mulher retirasse a blusa e passou a acariciar os seios dela. Não satisfeito, a constrangeu, mediante ameaça de morte, a praticar sexo oral com ele, na calçada da rua. Por último, ordenou que a vítima fosse embora e a ameaçou de morte caso contasse o fato para alguém.

A vítima compareceu na delegacia, na manhã do dia seguinte ao fato, e prestou declarações. Imediatamente, os policiais civis iniciaram diversas diligências investigativas no sentido de descobrir a autoria dos crimes e autoridade policial representou por sua prisão cautelar.

O suspeito foi preso pelos policiais civis na casa de sua namorada, no Jardim Dom Bosco, Aparecida de Goiânia. Ele foi abordado e com ele uma porção de droga foi encontrada, motivo pelo qual foi autuado por posse de drogas para consumo pessoal, também em um TCO. O celular da vítima, que foi apreendido, estava com a namorada do suspeito de roubo e estupro. Ela, que também tem 22 anos, foi autuada por receptação culposa, em um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

O homem confessou, ao ser interrogado, ser o autor dos crimes de roubo e estupro. Além disso, os policiais civis também constataram que as características físicas dele e da sua moto eram muito semelhantes às fornecidas pela vítima. Ele está detido e o inquérito policial será encaminhado ao Poder Judiciário no prazo legal.

Comentários