Cidades

Homens são presos suspeitos de extorquir vítima para não divulgar fotos íntimas

A ação rápida dos policiais civis, interromperam a continuação do crime

diario da manha
Delegacia de Polícia, Iporá-GO Foto/Divulgação

Dois homens foram presos em flagrante, na última quarta-feira (10/3), suspeitos de extorquir, o equivalente a R$ 3 mil para não divulgar fotos íntimas da vítima, em Iporá.

De acordo com Polícia Civil do Estado de Goiás, um homem, de 54 anos, chamou a polícia e alegou ser vítima de um indivíduo que estava exigindo a transferência de quase R$ 3 mil para que não tivesse fotografias íntimas publicadas. A vítima informou que dias atrás já teria realizado a transferência de mil reais e o golpista continuava a exigir mais dinheiro.

A vítima após sofrer tanta pressão psicológica e ameaças em ter suas fotos intimas divulgadas, bloqueou o número do golpista e não fez mais contato.

Delegado Marcus Cardoso
Foto/Divulgação

O delegado do caso Marcus Cardoso e sua equipe empreendeu diversas diligências, com base nas informações prestadas pela vítima, com a finalidade de identificar e efetuar a prisão do autor do crime.

O suspeito, um homem de 26 anos, foi identificado e preso em flagrante, no bairro do Sossego, em Iporá. Ele confessou a prática do crime e revelou que o mandante do serviço seria o enteado da própria vítima, que aproveitou que o padrasto havia caído no golpe e, como não tinha mais contato com os golpistas, planejou e o convidou para continuarem o golpe iniciado por outros criminosos, passando assim a exigir da vítima a transferência de R$ 2 mil reais.

No decorrer da extorsão, o enteado da vítima, repassava todas as informações relativas à rotina e vida pessoal da dela, como forma de constrangimento a modo a persuadir a vítima a realizar o pagamento da quantia exigida o mais rápido possível, o que somente não ocorreu em virtude da rápida ação da polícia, que interrompeu a prática delitiva.

As equipes saíram em diligências e conseguiram localizar e prender também em flagrante o segundo autor do crime, mandante e enteado da própria vítima. Ele foi preso no mesmo bairro.

O enteado ao ser interrogado, informou que o padrasto lhe devia R$ 2 mil e que planejou as extorsões na tentativa de receber os valores da dívida.

Celular utilizado para a prática do crime
Foto/Divulgação

O telefone utilizado para aplicar o golpe foi apreendido, e ambos responderão pelo crime de extorsão majorada na forma tentada.

A investigação contou com o apoio da equipe do Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Iporá.

O que é o crime de extorsão?

O crime de extorsão ocorre quando uma pessoa faz uso de uma ameaça para conseguir benefícios pessoais. É também conhecido popularmente como chantagem. Ou seja, se não houver o pagamento da quantia exigida, a pessoa pode está correndo risco de morte, ter fotos intimas divulgas ou algo que a fere psicologicamente.

Com o ano de 2021, com o estado de isolamento social e a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) esse crime vem sendo aplicado com mais frequência e ainda conta com a cooperação da vítima, a qual se dispõe a fazer o que o criminoso exige para não sofrer as consequências impostas por ele.

Conforme a legislação brasileira, o delito pode rende de 4 a 10 anos de prisão ao autor.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários