Cidades

Bombeiro recebe alta após 47 dias internado e ganha homenagem

O veterano ficou 47 dias internado em tratamento contra o novo coronavírus, foram mais de 15 dias intubado

diario da manha

Na manhã desta sexta-feira, 16, o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO), em conjunto com a Associação dos Subtenentes e Sargentos do Estado de Goiás (Assego), realizaram uma homenagem ao Tenente Moisés Rodrigues de Oliveira, militar que recebeu alta do tratamento de Covid-19.

O veterano ficou 47 dias internado em tratamento contra o novo coronavírus, foram mais de 15 dias intubado e o no dia de sua saída do hospital, sua família, amigos e companheiros de banda estiveram prestando um tributo a ele.

Segundo seu parceiro de banda do Corpo de Bombeiros, Tenente Dias, confessou que quando recebeu a notícia de que Tenente Moisés havia recebido alta “foi uma alegria muito grande, uma alegria que a forma de expressar é muito pouca pelo tamanho da felicidade”.

Para o companheiro “foi uma alegria muito grande, muito contente mesmo, não é só um amigo é mais que um irmão”, pois, todos da companhia estavam muito aflitos e preocupados com a situação do amigo.

Subtenente Wesley, vice-presidente da Assego também esteve na ocasião e conta “são mais de 30 anos de serviços prestados por ele ao Corpo de Bombeiros. E nós da diretoria da Assego e Banda dos Bombeiros buscamos com essa homenagem reiterar a nossa amizade e felicidade por essa importante vitória”.

A família do tenente se emocionou com a alta do Tenente e o filho Vitor Hugo de Oliveira Guedes, falou do sentimento que é ver o pai curado da doença “esse é um momento de alegria por que Deus deu novamente a vida ao meu pai” e disse ainda “meu pai esteve à beira da morte e nós chegamos a pensar que ele iria morrer, mas Deus o resgatou e deu a ele a vida novamente”.

Karina Fonseca, médica e diretora técnica do CEAP-SOL, declarou a satisfação que é de ver o momento de alta dos pacientes em tratamento da Covid-19. “Cada paciente que recebe alta percebemos o quanto é gratificante a nossa profissão”.

Comentários