Cidades

DF: Psicólogo é preso após estuprar criança durante consulta

O abuso sexual ocorreu entre 2016 e 2018 no consultorio dele que fica na Asa Norte

diario da manha

Um psicólogo de 65 anos foi preso preventivamente acusado de estuprar uma de suas pacientes, de apenas 9 anos. O inquérito foi instaurado em 2019, desde então o suspeito estava foragido. O abuso sexual ocorreu entre 2016 e 2018 no consultorio dele que fica na Asa Norte.

Os investigadores localizaram o homem em João Pessoa, na Paraíba, na terça-feira (30/3). Ele foi trazido da capital paraibana e já está na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE).

Segundo a Polícia Civil (PCDF), o profissional se aproveitava da profissão para cometer o crime. No consultório, quando atendia a criança, ele aproveitava para beijar a boca e passar as mãos nas partes íntimas da vítima.

Pela natureza do atendimento psicopedagógico, os pais acompanhavam uma parte da consulta e, em outra, eram orientados a deixar a criança conversar sozinha com o profissional. A PCDF não divulgou o nome do suspeito, que é formado em psicologia e com especialização em psicopedagogia. O investigado mantinha um consultório voltado para o atendimento infantil.

Investigações

De acordo com o Metrópoles, as investigações apontam que o profissional abusou sexualmente da menina ao longo de várias consultas. Os abusos ocorreram quando a menina tinha 9 anos, no entanto, ela só revelou ter sido vítima do crime três anos depois, aos 12 anos, quando foi ouvida na DPCA e as investigações tiveram início.

Antes da denuncia o homem atendia famílias de classe média e nenhum dos pais suspeitava dos crimes.

As investigações contaram com apoio da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), da Polícia Civil da Paraíba (PCPB) e do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB).

Caso condenado pelo estupro de vulnerável, o suspeito poderá cumprir uma pena que varia de 8 a 15 anos de prisão.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários