Cidades

Com casamento marcado, noiva fica presa em casa durante tiroteio no Jacarezinho

Apesar do momento de desespero, Michele consegiu se casar com o agora marido Inácio em um cartório do Méier, também na Zona Norte do Rio

diario da manha

Uma noiva quase perde o próprio casamento por não conseguir sair de casa durante o tiroteio na comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, na manhã desta quinta-feira (6). Segundo Michele, o casamento estava marcado para às 9h e os disparos começaram quando ela ainda estava se maquiando.

O tiroteio teve início pela manhã durante a realização de uma operação da Polícia Civil do RJ contra o tráfico de drogas no Jacarezinho. Pelo menos 25 pessoas morreram, incluindo um policial civil. Outros cinco homens foram baleados, sendo que dois eram passageiros do metrô.

Apesar do momento de desespero, Michele consegiu se casar com o agora marido Inácio em um cartório do Méier, também na Zona Norte do Rio. Ela estava noiva havia dois anos.

Segundo Michele, ela conseguiu sair de casa minutos antes do casamento, quando os tiros cessaram, e pegou um carro de aplicativo em uma rua da região.

Um outra mulher, que está com a cesárea marcada para dar à luz, também teve dificuldades para sair de casa. Ela buscou uma rota alternativa.

Operação

A Operação Exceptis, realizada pela Polícia Civil do RJ investiga o tráfico de drogas no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. No intenso tiroteio durante a ação, um policial civil foi baleado na cabeça e acabou morrendo. Além dele, 24 suspeitos morreram. Cinco pessoas ficaram feridas. Explosões de bombas também foram registradas em diferentes pontos da favela.

Dos cinco homens atingidos por disparos, três são policiais civis. Os outros dois são passageiros do metrô.

A Polícia Civil do RJ, investiga além do tráfico de drogas, o aliciamento de crianças e adolescentes para ações criminosas, como assassinatos, roubos e até sequestros de trens da Supervia.

*Com informações do G1.

Leia também:

Comentários