Cidades

Homem é preso 10 anos após abusar de menina no DF

A vítima sofreu o abuso quando tinha 11 anos, atualmente ela já tem 20 anos. Na época o criminoso trabalhava na casa da família dela e se aproveitou da confiança deles para abusar da vítima

diario da manha

A polícia cumpriu na quarta-feira (19) um mandado de prisão contra Rejânio de Oliveira Normanda, de 49 anos, em São Sebastião. Ele vinha sendo investigado por ter violentado uma menina de 11 anos que vivia na casa onde ele trabalhava como empregado, no Lago Sul. O abuso aconteceu há 10 anos e o suspeito se aproveitou da confiança dos pais para praticar o crime.

Segundo as investigações, Rejânio era empregado da família e fazia serviços gerais, como levar as duas irmãs para a escola. Ele cometia os abuso em uma área restrita da casa, onde no local, tocava nas partes íntimas da menina e a obrigava a fazer o mesmo.

O homem começou a trabalhar para a família quando as meninas ainda eram pequenas. Durante os abusos, o pedófilo intimidava a criança, dizendo que mataria os pais dela, caso a garota contasse sobre para alguém. A menina sofreu a violência sexual por alguns meses e por medo ela começou a evitar o acesso à área onde o criminoso ficava.

Denúncia

A vítima atualmente tem 20 anos. O caso foi investigado, em 2014, pela Delegacia Especial de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA). Segundo o pai da garota, na época a filha apresentou uma mudança de comportamento, em que chegou a evitar sair de casa e a brincar com seus bichos de estimação, para escapar do perigo.

Ao Metrópoles, ele contou que só desconfiou que a filha sofreu os abusos quando descobriram que o homem, que já não trabalhava mais na casa da família, havia praticado o crime com outra vítima. De acordo com ele, após isso os pais conversaram com a garota, que confirmou os abusos e o caso foi denunciado na delegacia.

O criminoso foi levado para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE) e, posteriormente, transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda.

*Com informações do Metrópoles.

Leia também:

Comentários