Cidades

Polícia prende suspeito de integrar 'quadrilha dos reboques' no Rio de Janeiro

Segundo as investigações, os automóveis furtados não precisavam estar estacionados de forma irregular para serem retirados. Qualquer veículo que estivesse nas vias de Niterói era levado pela quadrilha.

diario da manha

A Polícia do Rio de Janeiro, prendeu em flagrante, na terça-feira (25), um homem suspeito de integrar a “quadrilha dos reboques”, um grupo de criminosos que reboca carros em vias do estado e encaminha para desmanche. Ao tentar roubar um veículo em Niterói, Região Metropolitana do Rio, a quadrilha foi impedida pelo dono. Uma câmera de segurança registrou o momento.

É possível ver nas imagens, quando um homem aparece em um carro de luxo e conversa com dois motoristas que dirigiam caminhões-reboque. De acordo com a polícia, ele contratou os “reboquistas” para retirar o veículo e levar para o local de desmanche.

Em seguida, o proprietário do veículo sai de casa e impede que a ação seja concluída pelos suspeitos. Uma investigação aberta pela 81ªDP (Itaipu) vai apurar o caso.

“A gente instaurou inquérito para apurar o caso. Já temos um preso em flagrante, mas existe um grupo. Já identificamos quatro pessoas. Elas contratam um reboque, que retira o carro e leva para os receptadores de peça. Também ouvimos cinco pessoas que tiveram o carro furtado pelos reboques”, disse o responsável pela investigação e titular da 81ª DP, delegado Fábio Barucke.

Dono de veículo impede que carro seja levado por grupo criminoso — Foto: Reprodução/Internet
Criminoso tenta roubar veículo e dono impede— Foto: Reprodução/Internet

Segundo as investigações, os automóveis furtados não precisavam estar estacionados de forma irregular para serem retirados. Qualquer veículo que estivesse nas vias de Niterói era levado pela quadrilha.

“O contratante do reboque passa nas ruas procurando carros que possam estar abandonados por alguns dias na rua. Ele imagina que os proprietários vão demorar a dar falta dos veículos. Ele chama o reboque e diz que o carro está parado e vai vender as peças. Os carros não precisam estar parados de forma irregular”, informou o delegado.

O motorista do reboque, que foi preso em flagrante, afirmou em depoimento à polícia que também foi uma vítima da quadrilha. Ele também contou que recebeu R$ 100 para rebocar o carro, e afirmou não saber do que se tratava o local que deixava os veículos.

Comentários