Cidades

Sem chuvas, clima deve ficar mais seco nesta semana, em Goiânia

De acordo com meteorologistas, até a próxima sexta-feira (21), a umidade do ar na capital pode cair até 17%. O ideal recomendado pela a OMS é entre 60% e 80%

diario da manha
Foto: Reprodução

Há 18 dias sem chuvas, o clima de Goiânia pode ficar ainda mais seco nesta semana. De acordo com meteorologistas, até a próxima sexta-feira (21), a umidade do ar na capital pode cair até 17%.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a qualidade ideal, recomendada, é entre 60% e 80%. Devido a quantidade irregular da chuva no inicio deste ano, é que provocou a queda na umidade do ar.

André Amorim, gerente do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), segundo ele a umidade baixa pode piorar com o início do período de queimadas.

”Pedimos para a população ter um momento de consciência e não colocar fogo na vegetação, pois pede prejudicar muito o clima”, reforça André.

Ainda de acordo como Cimehgo, em relação às temperaturas, a máxima fica entre 30ºC e 34ºC, mantendo o clima seco e sem previsão de chuvas. Já as mínimas variam entre 14ºC e 19ºC, em todo estado.

Tempo seco e queimadas

Com a chegada do tempo seco e a queda dos níveis de umidade, é aconselhável que a população siga as recomendações básicas para evitar a desidratação e possíveis doenças respiratórias.

  • Ingerir bastante líquido durante todo dia;
  • Lavar bem o nariz para evitar o ressecamento das vias aéreas;
  • Acrescentar ao ambiente um umidificador ou uma bacia ou balde com água;

Outro problema que é característico com a chegada do tempo seco são as queimadas, que pioram ainda mais o clima e contribui para o aparecimento de problemas respiratórios.

De acordo com a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), só no ano passado, foram aplicadas mais de 60 notificações para quem provocou queimadas ilegais. Em todo o estado de Goiás, iniciar queimadas, seja em lote ou lixo doméstico, é considerado crime e pode gerar multa de R$ 500 a R$ 1 mil.

A Amma, faz alerta sobre as queimadas e ainda reforça os problemas que elas causam.

”Isso é algo cultural, mas que precisamos mudar. Além de trazer problemas respiratórios, pode dar uma série de transtornos para a comunidade e o meio ambiente”, ressalta Renato Silva, gerente de fiscalização da Amma.

O Corpo de Bombeiros já iniciou campanhas de conscientização e prevenção para evitar as queimadas e recomenda a população que evite o descarte indevido de bituca de cigarro, um dos grandes agentes para início de um foco de queimada, e queimar lixo doméstico, como móveis, garrafas, materiais de alumínio e entre outros.

Comentários