Cidades

Em esconderijo usado por Lázaro, polícia encontra carta que diz "Muitos merecem morrer"

Lázaro é procurado por matar uma família inteira em Ceilândia, forças policiais do Distrito Federal e de Goiás estão no encalço para capturar o suspeito, que há 10 dias está em fuga

diario da manha
Foto/reprodução

Os policiais que trabalham nas buscas para prender o suspeito da chacina de Ceilândia, Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, acharam uma carta em um dos esconderijos, por onde Lázaro passou. O que chama à atenção é o conteúdo do documento, no qual o fugitivo escreve as seguintes palavras “muitos que vivem merecem morrer, alguns que morrem merece viver”.

Leia seu horóscopo de hoje

Embora o papel encontrado com essa frase, estivesse em um dos esconderijos usado pelo rapaz, a polícia não soube informar se foi ele que escreveu tais palavras ou se ele apenas carregava a carta.

De acordo com a polícia além da carta, a equipe encontrou ao lado do papel frutas e uma toalha que forrava a mesa. Os investigadores afirmam que o local foi usado como um ponto de apoio pelo suspeito da chacina até a polícia encontrar o esconderijo. Segundo as informações divulgadas, no local onde a casa foi encontrada tem uma mata ciliar próxima a residência, e que esse detalhe facilitou a fuga de Lázaro.

As buscas para efetuar a prisão de Lázaro já estão no 10º dia, vale lembrar que o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, confirmou ontem o reforço das equipes de busca com a chegada da Força Nacional.

Lázaro é suspeito de matar uma família inteira em Ceilândia no Distrito Federal, o crime foi registrado na última quinta-feira, 10, e depois disso ele fugiu e está foragido. Durante as buscas e enquanto fugia da polícia, o rapaz chegou a fazer três pessoas de uma mesma família refém, que foi resgatada pela polícia.

Ontem o suspeito voltou a trocar tiros com a polícia, mas depois de ser encontrado pelas forças policias, o mesmo entrou em uma valha e conseguiu fugir do cerco.

*Com informações do Metrópoles

Leia também:

Comentários