Cidades

Goiânia amplia vacinação para pessoas a partir de 45 anos

O atendimento será feito por meio de agendamento em um dos 27 postos ou para quem optar no Drive-Thru do Passeio das Águas Shopping, não é necessário agendar

diario da manha
Foto: Reprodução

A prefeitura de Goiânia, ampliou nesta sexta-feira (25) a vacinação contra a Covid-19 para pessoas a partir de 45 anos sem comorbidades, após receber mais de 22,8 mil novas doses de imunizantes.

O atendimento será feito por meio de agendamento em um dos 27 postos ou para quem optar no Drive-Thru do Passeio das Águas Shopping, não é necessário agendar.

Para gestantes, puérperas e lactantes a aplicação da vacina será somente na área I da PUC, sem necessidade de agendamento. Os outros grupos prioritários serão vacinados somente após o agendamento pelo aplicantivo ” Prefeitura 24 horas”, disponível para Android e IOS.

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) informa que para as pessoas que precisam da segunda dose, deve procurar o atendimento na UPA Jardim América. Não é necessário agendar.

Além de ter recebido doses da CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer, Goiânia também começa aplicar a dose única da vacina Janssen.

Para receber a vacina contra a Covid-19, é preciso apresentar CPF, documento de identificação com foto e data de nascimento e comprovante de endereço.

Profissionais da educação devem apresentar a autodeclaração assinada, que se encontra disponível no site da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e comprovante de atuação (crachá, contrato de trabalho, contracheque ou carteira de trabalho).

Pessoas com doenças preexistentes devem levar um destes documentos: laudo médico com a indicação da comorbidade; formulário disponível no site da prefeitura, carimbado e assinado pelo médico; prescrição médica de vacinação com indicação da comorbidade; ou relatório da equipe de atenção primária com a cópia do prontuário do paciente.

As Grávidas e puérperas com ou sem comorbidades, precisam apresentar documentação que comprove a gestação, como por exemplo, betaHCG, ultrassonografia etc, além de relatório médico comprovando a comorbidade. Já as lactantes devem apresentar a certidão de nascimento do bebê.

Leia também:

Comentários