Cidades

Secretário de Segurança Pública de Goiás acredita ter visto Lázaro Barbosa

O secretário Rodney Miranda tem afirmado que há um grande interesse em agilizar a localização de Lázaro, mas sem ansiedade. Para ele, o principal objetivo antes de encontrar o suspeito, é evitar vítimas

diario da manha
Foto: Reprodução

O secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Mirada, disse na última sexta-feira (18) que acredita ter visto Lázaro Barbosa. ” Tenho quase certeza que eu cheguei a vê-lo, só que eu estava a um quilometro de distância, do outro lado de um vale”, afirmou Rodney.

Ainda conforme o secretário, o perímetro onde Lázaro deve estar foi reduzido. Na última quarta-feira (16) ele já havia feito outra sinalização neste sentido. ” A gente teve informações bem concretas e a partir delas a gente está avançando na captura por Lázaro”, completou o secretário.

De acordo com Rodney, nem todas as informações estão sendo checada in loco, porque muitas que chegam, são falsas e isso atrapalham as buscas.

O secretário ainda afirmou que os 20 homens da Força Nacional, cedidos pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, não chegaram, e que ele, em um primeiro momento, recusou o apoio.

” Coloquei para o senhor ministro, André Mendonça, que não teria necessidade do reforço por conta de outros estados poderem necessitar”. Por fim, Rodney acabou aceitando porque ”toda ajuda é bem vinda”.

O trabalho da força-tarefa na última sexta-feira, consistiu, sobretudo, na checagem de informações a respeito do paradeiro de Lázaro e da manutenção da vigilância do cerco montado.

As movimentações se intensificaram no fim da tarde com a saída de várias viaturas ao mesmo tempo. De inicio, o movimento foi no povoado de Girassol para o distrito de Edilândia, e em seguida, para uma área de campo, mais ao sul de Cocalzinho de Goiás.

O secretário Rodney Miranda tem afirmado que há um grande interesse em agilizar a localização de Lázaro, mas sem ansiedade. Para ele, o principal objetivo antes de encontrar o suspeito, é evitar vítimas.

tags:

Comentários