Cidades

MP denuncia milicianos suspeitos de filmar e divulgar cenas de violência sexual

O grupo apelidado de "Bonde do Magrinho" é liderado por um PM

diario da manha

O Ministério Público do Rio de Janeiro, denunciou três integrantes de uma milícia que age na Taquara, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Eles são suspeitos de crimes de tortura e estupro.

De acordo com a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), as cenas de violência sexual eram gravadas pelos próprios milicianos e divulgadas para impor medo e respeito aos moradores da Taquara.

Segundo os promotores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), o grupo apelidado de “Bonde do Magrinho” é liderado pelo PM Eduardo Maia Rodrigues Silva, preso no dia 21.

Ele e outros dois homens foram denunciados pelos promotores por crimes de extorsão, tortura, adulteração de sinal identificador de veículo automotor, estupro e divulgação de cena de estupro.

A polícia informou que a série de crimes ocorreu por pelo menos um ano. O caso foi denunciado por um morador que enviou fotos e vídeos dos atos de violência para agentes da Draco.

Além do PM, a 1ª Vara Criminal Especializada da Capital decretou as prisões e sequestro de bens de Cristiano Jorge Braga Sanches e Phillip Henrique Leal Bastos. Philip é considerado foragido.

De acordo com o Ministério Público, outras pessoas suspeitas de integrar o bando também estão sendo investigadas pela Draco.

Comentários