Cidades

Policial é morto pela própria arma ao separar briga no Paraná

Os suspeitos estão foragidos e a polícia abriu um inquérito de investigação

diario da manha

O policial Fernando Hortz, de 35 anos, veio a óbito ao tentar separar uma briga no baile em Cerro Azul, na região metropolitana de Curitiba. O oficial da Polícia Militar (PM) na tentativa de apaziguar a confusão, foi atingido por três tiros, no peito e em uma das mãos. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

De acordo com o boletim de ocorrências da PM, o Hortz estava acompanhado de um amigo. No momento em que tentaram separar uma confusão, foram cercados por duas pessoas que começaram a agredi-los. Um dos suspeitos roubou a arma do policial e efetuou os disparos, conforme o documento. O amigo do oficial, também foi atingido em uma das pernas, mas não foi agravante.

Conforme testemunhas, os suspeitos fugiram do local em um gol prata com uma das laterais raspadas. A Polícia Civil afirma, “o inquérito policial foi instaurado e testemunhas estão sendo ouvidas desde ontem a fim de localizar os suspeitos e estabelecer a dinâmica dos fatos”.

A vítima era policial há nove anos, sendo lotado no BPTran (Batalhão de Policiamento de Trânsito), em Curitiba, onde morava.

O pai do soldado, Orlando Hortz contou que ele não tinha esposa, nem filhos. “Era uma pessoa muito alegre e nunca o víamos triste, era o tipo de pessoa que tirava dele para ajudar os outros, uma perda muito grande para família e amigos. Dei a ele a vida e em troca me ensinou sobre intensidade, amor e amizade”.

O sepultamento do militar deverá ao longo da tarde hoje, 2, no Cemitério Parque São Pedro, em Curitiba.

Policial Militar atuava há 9 anos no Paraná
Fonte: UOL

*Com informações do IG Último Segundo e UOL

Leia também:

Comentários