Cidades

Crise hídrica: Cidades em Goiás já fazem rodízio de água

O problema do abastecimento de água já afeta ao menos cinco municípios

diario da manha
Foto/Reprodução

Goiás já vem enfrentando uma crise hídrica por conta do tempo seco e calor excessivo, que aumenta o uso desregrado da água. O problema do abastecimento de água já afeta ao menos cinco municípios.

As cidades de São Luiz do Norte, Goianésia e São Luís de Montes Belo já enfrentam dificuldades no abastecimento hídrico, desde da última segunda-feira, 13, estão sendo atendidas pelo sistema de rodízio feito pela Saneago.

O mesmo método será aplicado em Crixás, nesta próxima quinta-feira, 16. Caldas Novas passa pelo menos problema, e conta com o serviço de uma companhia municipal, há três semanas.

Segundo o diretor-presidente do Departamento Municipal de Águas e Esgotos de Caldas Novas (Demae), Rafael Marra, falta investimento para melhorar a situação. “Não houve investimento nos últimos 20 anos para a captação de água de Caldas Novas. Precisamos de recursos financeiros para solucionar a falta de água da cidade”, afirma.

A Saneago alerta para o comprometimento do nível do Ribeirão Anda Só, que é o manancial que abastece Crixás e o baixo nível do Ribeirão Pirapitinga é o que causa o problema em Caldas Novas.

Em São Luís de Montes Belos quanto em São Luiz do Norte devido ao aumento no consumo pela população, será necessário a realização de rodizio.

Segundo a Saneago as ações são necessárias devido ao prolongamento da estiagem, drástica diminuição da umidade, e aumento do consumo de água. Foi realizado um planejamento em relação aos dias em que determinados grupos estarão abastecidos, os dias de desabastecimento e os dias de recuperação do sistema

Também há registro de problemas no atendimento da população em Abadiânia e Senador Canedo. Moradores do Conjunto Morada do Morro enfrentam a falta de água há seis dias. Pessoas estão pegando fila e sol quente para buscar água todos os dias em uma das duas torneiras da prefeitura com um carrinho de mão carregando garrafas pet, garrafa térmica e galão de água.

A obra que aumentara em 20 vezes a capacidade de armazenamento de aguá, no lago Bonsucesso já está na fase final, informou a Agência de Saneamento de Senador Canedo (Sanesc). A empresa acredita que o problema no abastecimento ocorre devido aumento no uso nos feriados e finais de semana.

O alto consumo também é a explicação do Serviço de Abastecimento de Água e Esgoto (Saae) de Abadiânia para a falta de água em bairros mais periféricos. Quanto às demais cidades, ainda não há previsão da Saneago em aumentar a quantidade de municípios com a limitação no serviço. O Ministério Público do Estado de Goiás pediu a relação das cidades com maior risco de crise hídrica. Mas a companhia pediu até o próximo dia 20 para responder ao pedido.

Comentários