Cidades

Ginecologista denunciado por abuso sexual consegue habeas corpus, MP vai recorrer

Decisão que colocou o médico em liberdade provisória saiu na tarde de segunda-feira, 4

diario da manha

O ginecologista Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, que é acusado pelas pacientes de estupro conseguiu na Justiça um habeas corpus para responder o processo em liberdade. No entanto tal decisão deve ser retificada, pois o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), entrou com uma ação para que a mesma seja revista e o médico volte ao presídio.

Nicodemos é investigado por abusar e importunar sexualmente mais de 50 mulheres, em Anápolis. Por meio de nota o MP informou que a decisão de liberar o médico foi equivocada, uma vez que os depoimentos das vítimas foram ignorados.

Autora da ação que pretende revogar a liberdade provisória do ginecologista, a promotora Camila Fernandes Mendonça fez questão de ressaltar que a prisão de Nicodemos é necessária.

Na tarde da última segunda-feira, 4, o médico teve o pedido de prisão revogado pelo juiz Adriano Roberto Guimarães, o qual levou em consideração o fato de Nicodemos ter residência fixa e de que o mesmo ser réu primário.

Vale ressaltar que Nicodemos já foi condenado em Brasília pelo mesmo crime, no entanto, como o processo ainda não está como transitado e julgado, o mesmo foi considerado réu primário pelo magistrado.

Na decisão do juiz Adriano Roberto Guimarães, o médico está proibido de ter qualquer contato com as vítimas, ir ao consultório no qual trabalhava e de exercer a profissão.

O caso começou a ser investigado após três vítimas denunciarem o médico. Depois delas, outras mulheres procuraram a Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM) de Anápolis para relatar os abusos que sofreram por parte do médico durante os procedimentos e exames médicos.

*Com informações do O Popular

Leia também:

Comentários