Cidades

Combate ao ‘Aedes aegypti’ é intensificado

Operação conjunta da SES-GO, prefeituras e Corpo de Bombeiros percorre locais de proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika e Chikungunya, alerta para aumento de casos e convoca população a eliminar criadouros domésticos

diario da manha

A temporada de chuvas na região Centro-Oeste trouxe o aumento dos focos de mosquito Aedes aegpyti, transmissor de doenças endêmicas em Goiás, todas elas com potencial elevado de transmissão, adoecimento e ocorrência de óbitos. Diante disso, o Governo de Goiás mobilizou equipes de trabalho e, em conjunto com as prefeituras municipais, está vistoriando os pontos estratégicos de maior risco.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, esses pontos estratégicos nos municípios são locais como marquises de quadras poliesportivas, borracharias, ferros-velhos e depósitos em geral que, com acúmulo de água das chuvas, se transformam em grandes criadouros de mosquito.

“A vigilância em saúde emitiu alerta recente sobre o aumento de casos das arboviroses dengue, zika e chikungunya no Estado, com especial preocupação sanitária para a Chikungunya, que tem tido elevação no número de casos este ano e é uma doença debilitante que pode deixar sequelas nas pessoas acometidas”, explica Alexandrino.

Com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBM-GO), equipes de Controle de Vetores da Vigilância em Saúde (Suvisa) e Regionais de Saúde têm percorrido vários desses pontos em cidades do interior, juntamente com agentes de endemias, agentes comunitários e servidores das prefeituras municipais atendidas.

“Nosso apoio às prefeituras é técnico-orientativo, com capacitações e educação continuada, além do suporte operacional, com fornecimento de insumos, tais como bombas costais, inseticidas, larvicidas, exames diagnósticos, medicamentos e até veículos para nebulização”, enumera a superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim

“Estamos nessa parceria muito importante com o Corpo de Bombeiros na busca de identificar e eliminar os grandes criadouros. As prefeituras devem desenvolver ações posteriores junto à população”, acrescenta Flúvia, que convoca toda a população a ajudar na eliminação de quaisquer depósitos de água, por menores que sejam.

Operação

O Corpo de Bombeiros/Defesa Civil Estadual, por meio das Regionais de Defesa Civil (Redecs), tem dado apoio com recursos humanos e logísticos às equipes da saúde pública, com o uso de efetivo especializado, viaturas, escadas e drones para a identificação dos focos. “Em locais de difícil acesso, como caixas de águas, marquises, telhados, lotes fechados, grandes borracharias e depósito de inservíveis, o uso do drone é fundamental”, explica o coordenador de Vigilância da Suvisa, Murilo do Carmo.

Os municípios entram na operação com caminhões, pás e equipes de trabalho, para remoção de entulhos e outros inservíveis. Já foram vistoriados diversos pontos nas cidades em que ações têm sido realizadas.

O coordenador operacional do CBM-GO, Tenente Jonathan Alves Soares, informa que estão sendo realizados os planejamentos das próximas ações em parceria com os municípios e regionais de saúde e ressalta: “a destreza e a expertise dos bombeiros estão ajudando a eliminar um perigo quase invisível à população. Esperamos que todos façam sua parte, alistando-se na guerra contra esse inimigo que ronda cada casa ou local de trabalho. Saúde exige empenho e cuidado de todos”, diz ele.

Leia também:

Comentários