Cidades

Vizinhos descrevem o suspeito de matar três pessoas em Corumbá, como "quieto e estranho"

Wanderson Mota Protácio, está foragido desde desta última segunda-feira, 29

diario da manha
Wanderson Mota Protácio, suspeito de matar a esposa grávida, a enteada e um fazendeiro Foto: Reprodução

Wanderson Mota Protácio, 21 anos, está foragido desde desta última segunda-feira, 29. Ele é acusado de assassinar a facadas a própria companheira, Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos.

Moradores da região onde o suspeito morou em 2019, com o pai e a madrasta, em Goianápolis, se diz assustada com o triplo homicídio cometido pelo jovem, no último domingo, 28, em Corumbá de Goiás. Os vizinhos do bairro disseram que a família residiu no imóvel há dois anos e que, permaneceram no endereço, por cerca de pouco mais de um ano.

Os residentes da região descreveram Wanderson como um jovem discreto e calado. Uma senhora relatou que mora na rua há mais de 30 anos e que os vizinhos eram pouco vistos na residência. “Nem bom dia eles davam. Eram trabalhadores. Sabíamos que trabalhavam em hortas colhendo tomates. Saíam de casa cedo e voltavam no fim do dia. Logo se recolhiam”, comentou.

Outra pessoa contou que só soube que residia próximo ao local onde o foragido morou, após os crimes cometidos por ele, no último domingo, virem a tona. “Foi quando outras pessoas comentaram que era o rapaz que morou aqui na rua, em 2019. Pouco o víamos. Não tínhamos contato. Ele era quieto. Jovem e não conversava.”

Os proprietários do imóvel que era alugado pelo pai de Wanderson na época, confirmaram que a família viveu na residência por mais de um ano e, após ele esfaquear a irmã da sua madrasta pelas costas em dezembro de 2019, a família deixou o local.

“Não tínhamos muito contato. Era apenas para receber o aluguel e tratar sobre o contrato. Eles pagavam direitinho. Pouco víamos o Wanderson. Falávamos mais com o pai dele e a madrasta. Muito trabalhadores. Depois dos acontecimentos, foram embora e não tivemos mais notícias. Temos medo que o Wanderson possa aparecer por aqui também”, pontuou o dono da moradia.

A onda de homicídios não é única passagem de Wanderson pelo mundo do crime. Ele já esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela, em Goianápolis. O agressor só parou com os ataques porque a faca quebrou. Ele chegou a ser preso por tentativa de feminicídio, mas foi solto.

*Com informações do Metrópoles

Leia Também:


Comentários