Cidades

Estudante denuncia IFG por danos morais

Ele afirma que foi vítima de assédio moral, stalking, gaslithing e bullying durante o curso

diario da manha
Foto: Arquivo pessoal

O estudante do curso Técnico de Enfermagem do Instituto Federal de Goiás (IFG), Campus Goiânia Oeste, Fernando Adriano de Rezende, de 39 anos, denunciou a instituição e duas colegas de turma na Justiça alegando ser vítima de assédio moral, stalking, gaslithing e bullying durante o curso.

“Fui vítima de constantes agressões verbais e psicológicas, comentários depreciativos e humilhações por parte dos colegas. O IFG agiu de forma parcial. Chegou a espalhar, através da coordenação do curso, que eu tinha transtorno mental, o que não é verdade. Estou sofrendo muito com a situação”, relata.

Conforme Fernando, tudo começou em 2018, no primeiro ano do curso, quando foi presidente da turma e começou a se destacar. Ele afirma que uma colega de turma teria espalhado que ele era usuário de drogas.

O estudante denunciou o caso à direção do campus do IFG, para onde encaminhou exames que comprovam que ele não usa drogas e foi aberto um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD).

“Eu tenho provas que a instituição favoreceu a violência. Eu passei por situação vexatória dentro do IFG, eu nunca passei por tanta humilhação igual passei no IFG, afirma.

Segundo a  Defensoria Pública Pública do Estado de Goiás (DPE-GO), não restou outra alternativa a não ser solicitar à Justiça a condenação do IFG por danos morais, já que Fernando foi vítima de “irreparável desgaste psicológico”.

Em nota, o IFG disse que está em permanente defesa da vida e dos direitos humanos e repudia veementemente práticas que possam caracterizar assédio moral e sexual, discriminação, preconceito, racismo, incitação à violência, bullying, perseguição ou qualquer outra conduta que desrespeite as pessoas e seus direitos. Confira a nota na íntegra:

O Câmpus Goiânia Oeste do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) está em permanente defesa da vida e dos direitos humanos e repudia veementemente práticas que possam caracterizar assédio moral e sexual, discriminação, preconceito, racismo, incitação à violência, bullying, perseguição ou qualquer outra conduta que desrespeite as pessoas e seus direitos.

Os princípios norteadores do IFG estão dispostos no artigo 3º do Estatuto da Instituição e reforçam o compromisso com os direitos humanos, a justiça social, a equidade, a diversidade, a cidadania, a ética, a educação inclusiva, a liberdade de expressão e de manifestação e, também, com as representações dos coletivos identitários. As diretrizes institucionais, baseadas nos princípios norteadores, são os pilares que conduzem o desenvolvimento de todos os programas, projetos e ações no âmbito do IFG.

Diante do exposto e de recente notícia veiculada pela imprensa sobre situações de conflito entre estudantes do Câmpus Goiânia Oeste, informamos que estão sendo realizadas apurações administrativas conforme a legislação vigente.

A questão vem sendo acompanhada desde 2018, com a realização de diversas ações pelo Câmpus Goiânia Oeste, sempre no sentido de mitigar os conflitos, promover a conciliação e a resolução do caso. Somam-se a essas ações, os projetos institucionais de caráter contínuo que tratam da prevenção às práticas de assédio, de racismo, de discriminação, de preconceito, de bullying, entre outras. Conheça aqui parte das ações.

O IFG reafirma o seu compromisso com o respeito integral aos direitos de todos e contra qualquer prática que esteja em desacordo com esses direitos e com a legislação, para tanto, além de realizar ações e projetos, disponibiliza seus canais de denúncia para a comunidade.

Leia também:

Comentários