Cidades

Médica é agredida por casal após pedir exame para dar atestado

O casou assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência por lesão corporal e foi liberado

diario da manha
Foto: Reprodução

A médica Sabrina de Oliveira Lacerda, de 28 anos, foi agredida por um casal com puxões de cabelo e socos no rosto por causa de um atestado de Covid-19, em um posto de saúde de Novo Gama, no Entorno do DF. Conforme a ocorrência, o esposo da médica também estava de plantão na unidade e tentou separar a briga.

O médico Paulo Henrique Lino, colega de trabalho da profissional, disse que a paciente estava acompanhada do marido, com sintomas de Covid-19 e queria um atestado, mas a médica solicitou um teste rápido para a doença com o objetivo de confirmar se a mulher estava contaminada.

“Nesse momento, a paciente se alterou muito. A médica pediu para ela ter calma, que iria só pedir o teste, mas que a atenderia normalmente. Aí ela começou a agredir a médica, puxando o cabelo, jogou ela no chão, deu socos”, afirma Paulo.

O casal foi conduzido pela Guarda Civil para a delegacia junto com a profissional na noite de quinta-feira, 27. Eles assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por lesão corporal e foram liberados.

De acordo com a corporação, Sabrina fazia plantão na unidade como clínica geral no dia da agressão e sofreu ferimentos no rosto.

Em nota, a prefeitura da cidade repudiou a agressão e disse que que está tomando as medidas judiciais necessárias. “Repudiamos veementemente as agressões sofridas por nossos colaboradores, empenhados no trabalho de salvar vidas, e se solidariza com as equipes e família”, diz a nota.

Segundo o médico, o marido da paciente entrou na briga e a agrediu quando ela estava caída no chão.

Leia também:

Comentários