Cidades

Suspeito de Latrocínio é preso pela polícia

Imagens do circuito de segurança da região e outras provas colhidas durante as investigações ajudaram a polícia a identificar o suspeito do crime

diario da manha

Jhonatan Pereira de Lisboa, de 33 anos, foi preso por policiais do Grupo de Repressão a Roubos/Latrocínios da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC/GARR) na sexta-feira, 7, como o principal suspeito do latrocínio (roubo seguido de morte) de Antônio Batista da Silva, de 67 anos.

O crime ocorreu no dia 23 de novembro do ano passado, no setor Aboporu, em Goiânia, durante as investigações, a polícia descobriu que Jhonatan foi ao salão da vítima que era cabeleireiro, e durante o atendimento ele roubou o celular da vítima e deixou o estabelecimento comercial caminhando e passou a correr em seguida para fugir do local.

Suspeito foge a pé no primeiro momento como mostram as imagens

O cabeleireiro então pegou sua bicicleta e começou a perseguir o Jhonatan, e o alcançou pouco tempo depois, no entanto, a vítima foi espancada pelo rapaz, e teve ferimentos graves, o suspeito por sua vez fugiu do local com o celular e a bicicleta da vítima.

Jhonatan aparece em outro vídeo da fuga com a bicicleta da vítima

O cabeleireiro foi socorrido e levado para o hospital para receber atendimento médico, mas infelizmente ele não resistiu aos ferimento e morreu no dia 30 de novembro do ano passado.

Câmeras de segurança ajudaram a identificar o suspeito do latrocínio

Para identificar o suspeito do crime, a equipe policial usou imagens das câmeras de segurança da região, e ouviu testemunhas que auxiliaram a identificar Jhonatan, que inclusive já tem outras passagens pela polícia, contra outros idosos, como lesões corporais, e que reforçam a personalidade agressiva do rapaz.

Com as provas reunidas contra a rapaz, a polícia pediu pela prisão temporária do mesmo, e o mandato foi cumprido na última sexta-feira, 7, no Setor Terra Prometida, em Aparecida de Goiânia. Jhonatan confessou o crime em depoimento e afirmou que se defendeu das agressões da vítima, mas não convenceu a polícia com sua versão, em razão das provas coletadas durante as investigações que não condizem com a versão apresentada pelo suspeito do crime.

O inquérito sobre a ocorrência foi encaminhado ao Poder Judiciário e indicia o rapaz pelo crime, no pedido, a equipe policial pede também que a prisão temporária de Jhonatan seja convertida em prisão preventiva.

Leia também:

Comentários