Cidades

Polícia investiga morte de menino em parque aquático de Caldas Novas

"A Polícia Civil do Estado de Goiás esclarece que, dentro do prazo legal de 30 dias, envidará todos os esforços para aprofundar a investigação com o objetivo de elucidar os fatos e comprovar a responsabilidade daqueles que tenham concorrido para o evento fatal"

diario da manha
Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Goiás, através da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Caldas Novas, instaurou um Inquérito Policial para apurar as circunstâncias da morte de uma criança de 8 anos, ocorrida no último domingo, 13, em um parque aquático da cidade.

Conforme a polícia, foram realizados exames periciais de local de morte violenta e cadavérico pela Polícia Técnico-Científica. Os laudos serão concluídos e remetidos à Polícia Civil para a instrução do procedimento investigatório.

Dois funcionários do grupo empresarial proprietário do complexo aquático prestaram declarações na Delegacia de Polícia. Para hoje estão marcadas mais quatro oitivas de testemunhas. As imagens do circuito de câmeras de monitoramento do local também já foram requisitadas. Os pais da vítima serão ouvidos através de carta precatória encaminhada para a cidade de Conselheiro Lafaiete (MG).

“A Polícia Civil do Estado de Goiás esclarece que, dentro do prazo legal de 30 dias, envidará todos os esforços para aprofundar a investigação com o objetivo de elucidar os fatos e comprovar a responsabilidade daqueles que tenham concorrido para o evento fatal”, afirma a DPCA.

O acidente aconteceu em um toboágua chamado chamado “Vulcão”. Em nota, a prefeitura da cidade disse que o menino sofreu várias lesões e um traumatismo craniano seguido de afogamento. Ele foi atendido, inicialmente, por guarda-vidas do parque e levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Municipal em estado grave.

Uma equipe área do Corpo de Bombeiros foi acionada para transferir a vítima de helicóptero para Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, mas o menino sofreu uma parada cardíaca e a equipe teve que retornar.

A morte foi confirmada pela equipe médica às 19h. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil.

Em nota, o Di Roma Acqua Park, parque aquático onde a criança estava, disse que lamenta profundamente o ocorrido que está colaborando com as autoridades e oferecendo total suporte à família. Confira a nota na íntegra:

Leia também:

Comentários