Cidades

Suspeitos de estelionato “eletrônico” são presos

Eles confessaram o crime e foram colocados à disposição do Poder Judiciário

diario da manha
Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionatos e outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), prendeu na terça-feira, 22, dois homens investigados por integrar uma associação criminosa especializada na prática do crime de estelionato “eletrônico”.

Os agentes receberam informações de que uma mulher que mora em Goiânia havia sido vítima do crime de estelionato qualificado pela fraude eletrônica. Ela afirma que uma pessoa entrou em contato por aplicativo de mensagem se passando pelo filho dela e solicitou realização de duas transferências bancárias no intervalo de menos de 2 horas.

Conforme a polícia, a mulher, acreditando estar falando com o filho, realizou as transferências, totalizando a quantia de R$ 8.790,00. Logo depois, descobriu ter sido vítima de um golpe e foi até a Delegacia de Polícia denunciar o crime. Enquanto ela estava na DEIC, o suspeito insistia em novas transferências fornecendo diversas contas de comparsas.

Os agentes constataram que a conta bancária para a qual os valores foram encaminhados pertence a um indivíduo que em Aparecida de Goiânia. Foi feito o cruzamento de dados e os policiais civis foram até o suspeito que supostamente vendeu sua conta bancária para outro indivíduo, que mora em Goiânia.

Dada a voz de prisão ao primeiro suspeito por estelionato qualificado pela fraude eletrônica, a polícia foi em busca do segundo envolvido no crime, mas não o encontrou até o momento.

Durante às buscas dos titulares das outras contas indicadas na conversa, a polícia identificou um terceiro suspeito e uma mulher supostamente envolvida com o grupo, a qual informou ter fornecido a conta bancária para seu genro.

Os policiais realizaram novas diligências e conseguiram capturá-lo em Goiânia. Os suspeitos confessaram o crime e foram colocados à disposição do Poder Judiciário.

Segundo o delegado William Bretz, as investigações prosseguirão para a identificação e localização dos demais autores do crime e integrantes da associação criminosa.

Leia também:

Comentários