Cidades

Família recebe o direito de acrescentar nome e etnia indígena em documentos pessoais

Segundo Eunice Tapuia, a sensação é de dever cumprido. 'Estamos conquistando aquilo que foi tirado dos nosso ancestrais'. A família pertence a etnia 'Tapuia'

diario da manha
Foto: Reprodução

Uma família de Nova América, região central de Goiás, comemora uma grande vitória na justiça. A pesquisadora Eunice da Rocha Moraes Rodrigues, de 37 anos, e seus três filhos poderão acrescentar nome e etnia indígena em seus documentos, após anos de tentativas.

A determinação foi publicada no fim de fevereiro e a família recebeu recentemente a notícia. Após a mudança, que ainda não ocorreu, Eunice e seus filhos Nuiawã Moraes Rodrigues, Yasmin Moraes Rodrigues e Cesar da Rocha Rodrigues, que moram na aldeia Carretão, receberão o sobrenome “Tapuia” em seus documentos pessoais.

No documento, a família argumenta que possuía dificuldades para comprovar que pertenciam à comunidade, além de causar risco, pois poderiam não ter acesso aos seus direitos como indígena.

Para Eunice, a mudança significa muito mais do que apenas ter um nome em uma folha de papel, mas o reconhecimento da herança do seu povo e quem pertence a ele. “Nós sempre soubemos quem nós somos, de onde viemos e nossa história. Agora, com o estado reconhecendo, é uma sensação de dever cumprido e estamos conquistando aquilo que foi tirado dos nossos ancestrais”, informou.

Segundo a pesquisadora, para ocorrer a mudança, a sentença ainda precisa tornar-se definitiva e a expectativa está alta.

Com informações do G1.

  • Leia também:

Comentários