Cidades

Hepatite aguda infantil: Goiás registra primeiro caso

A menina de 2 anos, mora em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital

diario da manha
Foto: Pixabay

A Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) informou na quinta-feira, 19, que monitora um caso suspeito de hepatite grave de causa desconhecida em uma menina de 2 anos, moradora de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

“Temos um caso suspeito de hepatite grave de causa desconhecida, que é a mesma registrada em todo o mundo. Estamos monitorando os exames realizados e aguardando o resultado de alguns deles para saber o agente causador da doença”, disse a Superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim.

A criança está internada em um hospital de Goiânia e apresenta, até o momento, estado de saúde regular, ou seja, ela está bem.

Conforme Flúvia existem três classificações para este tipo de hepatite: suspeito, provável ou descartado. Somente exames laboratoriais podem confirmar a classificação da doença.

“Primeiro se descarta a causa, como viral ou bacteriana. Se todos [exames] forem negativo, vamos tentar identificar qual é o agente causador da infecção por meio de exames mais complexos”, explica.

Os sintomas são de febre, icterícia (pele amarelada), dor abdominal, vômito, diarreia, urina escura e fezes brancas em crianças com histórico saudável. Seria um quadro típico de hepatite, não fosse por dois aspectos: o motivo e, segundo o presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Marco Aurélio Sáfadi, o maior número de casos graves em relação aos quadros clássicos de hepatite infantil.

Vinte e um países já detectaram a hepatite grave de origem desconhecida entre crianças desde o início de abril e pelo menos 26 jovens precisaram de transplantes de fígado. No Reino Unido, segundo Flúvia, acharam o adenovírus e o sars-cov como agentes causadores deste tipo de hepatite.

No Brasil, São Paulo é o estado com o maior número de registros suspeitos, com 14 casos da hepatite misteriosa sob investigação. Há casos em investigação em Minas Gerais (7), Mato Grosso do Sul (4), Rio Grande do Sul (3), Paraná (2), Rio de Janeiro (6), Espírito Santo (1), Goiás (1), Santa Catarina (4), Pernambuco (3) e Maranhão (1).

Leia também:

Comentários