Ciência

Lua fica vermelha devido queimadas no MS

A poeira gerada pelas queimadas contribuíram para o aspecto avermelhado do satélite. A cor da lua é um indicativo de poluição da atmosfera

diario da manha
ncêndios e poeira deixam lua avermelhada em MS. — Foto: Elton Silva | Reprodução

No Mato Grosso do Sul, as poeiras e as queimadas deixaram a lua com um tom avermelhado nos últimos dias.

A especialista em meteorologia do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec), Franciane Rodrigues, afirma que a lua e um indicativo do quanto há poluição na atmosfera, em especial por poeira gerada por incêndios.

“É um efeito físico. A luz refletida pela lua interage com a poluição atmosférica no comprimento de onda da luz vermelha, uma vez que as partículas tem um tamanho grande se comparado a outros gases da atmosfera. Dentro da física atmosférica, o fenômeno têm esse efeito é denominado como espalhamento Mie”, explica a especialista.

Outros fatores também podem alterar a coloração da lua, como condições meteorológicas, escassez de chuva e poluição da região amazônica que chegam ao estado, segundo Franciane.

Esse fenômeno demonstra como está o quadro de poluição do estado. O Mato Grosso do Sul passa por longo período de estiagem, baixa umidade relativa do ar e incêndios se alastrando em vegetação, principalmente no Pantanal.

O governo do estado decretou situação de emergência na última semana, pois há mais de 1 milhão de hectares de vegetação destruídos. O Cemtec contabilizava 2.318 focos de calor no estado.

Campanha é lançada para buscar ações do Governo contra a degradação da Amazônia

Desde o início de agosto, o mundo voltou os olhos para o Brasil para os prolemas enfrentados na preservação da Amazônia. No dia 5 de setembro, data em que é celebrado o Dia da Amazônia, foi lançada a campanha “Seja Legal com a Amazônia”.

A ação busca exigir medidas efetivas dos poderes públicos, como a realização de operações para combater o roubo de terras públicas e a constituição de uma força-tarefa da Justiça Federal, apoiada pelo Executivo, Legislativo e Ministério Público, com o objetivo de promover a resolução de conflitos fundiários nessas localidades.



Comentários

Mais de Ciência

11 de março de 2019 as 11:34

Caroços siameses

28 de fevereiro de 2019 as 11:54

Homo intergalacticus

20 de janeiro de 2019 as 22:09

Acompanhe o eclipse lunar, o último de 2019

4 de junho de 2018 as 18:09

Junho terá sete eventos astronômicos