Coronavírus

Procura por testes de covid-19 tem aumento de 80% nos laboratórios de Goiânia

Por causa da demanda, o Sindilabs-GO recomenda às unidades o sistema de drive thru, para ampliar a oferta de exames e garantir maior segurança aos clientes

diario da manha
Foto: Reprodução

Segundo o Sindicato dos Laboratórios de Análise e Banco de Sangue do Estado de Goiás (Sindilabs-GO), entre maio e junho, o aumento da procura por exames sorológicos e do tipo RT-PCR, para o diagnóstico da covid-19, cresceu 80%.

O Hemolabor realiza 500 exames por dia, dos quais 40% são para pacientes internados e 60% para o restante. Os números aumentaram significativamente, desde o início da pandemia.

Em março foram realizados 270 exames. Em abril, o número quase quadruplicou: 1.200. Em maio, continuou crescendo e chegou a 3.300 testes feitos. Em junho, 5 mil exames para o diagnóstico da covid-19. “Nossa expectativa agora em junho é que este número tenha outro salto”, sinaliza Nelcivone Soares de Melo, hematologista e diretor do Hemolabor.

Por causa da demanda, um sistema de senhas foi criado, com 250 por dia. Elas são distribuídas no início da manhã e acabam antes das 12h. “Depois que as senhas terminam de ser distribuídas não fazemos mais exames. A coleta do material é rápida. Leva cerca de cinco minutos. Não conseguimos atender a demanda espontânea. É muito grande”, explica o diretor.

Melo também explicou, que para evitar aglomerações, o laboratório designou um estacionamento em frente a unidade e colocou cadeiras para receber pessoas que vão fazer exames para a covid-19.

“Temos um colaborador que trabalha exclusivamente com a organização desta fila. Retiramos metade das cadeiras da recepção e quando ela fica cheia, os pacientes são levados para o local aberto e aguardam lá. Todos têm de estar de máscaras e respeitar o distanciamento.”

Melo afirma que o Hemalobor ainda pode ampliar, em certo limite, o atendimento. “Nos últimos dias contratamos mais de 10 pessoas para suprir a demanda. Entretanto, temos um limite de expansão do atendimento. Está é uma preocupação nossa e de outros laboratórios aqui em Goiânia. Temos uma capacidade de máquinas e de pessoal que, em algum momento, não conseguirá ser transposta. Existe um limite”.

Outros laboratórios

O grupo Dasa, ao qual o laboratório Atalaia pertence, informou que registrou um aumento da demanda por testes moleculares (RT-PCR) na região Centro-Oeste.

A assessoria do Padrão disse que o aumento de testes nas últimas semanas foi “abrupto”.

No Cintocenter as coletas são feitas em domicílio ou pelo sistema drive thru e já não tem mais vagas para hoje (10) e amanhã (11). A coordenadora administrativa do laboratório, Rosiene Mendes, diz que só há vagas para segunda-feira (13), e que em algumas unidades só há disponibilidade no dia 18.

Além disso, a espera pelos resultados é diferente entre o particular e o convênio. “São três dias se for particular e 7 dias se for por convênio”, afirma a coordenadora.

Mendes explica que a demanda por exames cresceu significativamente. “Estamos com cinco profissionais fazendo coleta em casa e aumentando nossa força de trabalho o máximo que podemos. Estamos investindo principalmente no sistema drive thru para dar conta da quantidade de pedidos que estão chegando aqui”, pontua.

Drive thru

Por causa do aumento na demanda de exames da covid-19, o Sindilabs-GO recomenda o sistema de drive thru, para ampliar a oferta de exames e garantir maior segurança aos clientes.

O Sindilabs e a Federação dos Hospitais, laboratórios, Clínicas de Imagem e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás (Fehoesg) disponibilizam aos laboratórios goianos assessoria técnica para a instalação de postos de atendimento drive thru em locais de grande movimentação.

*Com informações do jornal o Popular

Comentários