Coronavírus

Ismael Alexandrino: "Retorno às aulas presenciais deve ser debatido com “extrema cautela”

diario da manha

Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa nesta segunda-feira, 28, o secretário de Estado da Saúde (SES), Ismael Alexandrino, afirmou que a questão do retorno às aulas presenciais nas escolas goianas deve ser avaliada “com extrema cautela”. Ponderou também que a Pasta não tem deixado de dialogar, nem internamente e nem no Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE), sobre o tema. Isso porque se trata de uma população específica.

O comentário do secretário se refere ao posicionamento da Sociedade Goiana de Pediatria (SGP), por meio da vice-presidente da entidade, Ana Márcia Guimaães, de que o momento é seguro para a volta às aulas. Na conversa com os apresentadores das rádios Brasil Central AM e RBC FM, o titular da SES admitiu que as crianças não têm tanta vulnerabilidade, tanto em relação ao contágio quanto ao desenvolvimento da forma grave da Covid-19. No entanto, a preocupação é epidemiológica.

“Ou seja, temos que considerar a população de crianças dentro da população como um todo”, argumentou. Ismael acrescentou que, tanto o pessoal da epidemiologia quanto da infectologia considera (o tema) com grande preocupação, porque as crianças são consideradas vetores da Covid-19, transmitem o vírus, carregam para dentro de casa e para outras crianças. “É nesse contexto que estamos ponderando”, afirmou.

Discussão

O secretário de Estado de Saúde admitiu que não está descartada essa discussão, apontada por ele como “bastante calorosa, profunda”. E declarou: “Nós consideramos a opinião da SGP, queremos ouvir sugestões em relação a como seria essa volta”. Observou que, certamente, não seria uma volta (às aulas presenciais) como um todo, mas seria necessário decidir quais os grupos de crianças, quais idades, a metodologia.

“Enfim, a pandemia é algo que nós temos, cada dia, discutido e aprendido com ela; e para isso nós somos sensíveis a todos os grupos, às opiniões de quem quer de fato contribuir”, disse. Ismael voltou a salientar que é preciso promover o retorno das aulas com “extrema cautela”.

Comentários