Coronavírus

Governo assina contrato para compra de 10 milhões de doses da Sputnik V

As doses serão importadas da Rússia pelo laboratório brasileiro União Química

diario da manha

O Ministério da Saúde assinou nesta sexta-feira (12) contrato para receber 10 milhões de doses da Sputnik V, vacina contra Covid-19. As doses serão importadas da Rússia pelo laboratório brasileiro União Química.

O cronograma previsto de entregas apresentado pela União Química indica a possibilidade de chegada ao Brasil de 400 mil doses até o final de abril, 2 milhões no fim de maio e de outras 7,6 milhões ainda para junho.

Apesar de a vacina ainda não tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), governadores e prefeitos também anunciaram acordos para fornecimento de doses. No entanto, por isso, os desenvolvedores firmaram parceria com a União Química, com intuito de apoiar a comercialização.

“Agora, para que possamos efetivamente aplicar a Sputnik, só necessitamos que a União Química providencie com a Anvisa, o quanto antes, a autorização para uso emergencial e temporário”, explicou Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde.

Além disso, a farmacêutica também informou ao ministério que pretende fabricar a substância em unidades que possui em São Paulo e no Distrito Federal. Com isso, o objetivo é atender a demanda nacional, mas a proposta ainda deve passar pela avaliação do Ministério da Saúde nas próximas semanas, o que poderá levar à concretização de outro acordo comercial.

Eficácia da Sputnik

A vacina Sputnik V teve eficácia de 91,6% contra a doença, segundo resultados preliminares publicados na revista científica “The Lancet”, uma das mais respeitadas do mundo. Em casos moderados e graves da doença, a eficácia foi de 100%.

No caso dos idosos, uma analise preliminar com 2 mil adultos com mais de 60 anos mostrou eficácia de 91,8% neste grupo.

*Com informações do G1.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:


Comentários