Coronavírus

Mais de 6 mil pacientes esperam por um leito de UTI no Brasil

O presidente do Conass, Carlos Lula, diz que essa situação vai fazer o número de mortes diárias crescer muito rapidamente

diario da manha
FOTO/Reprodução: Leitos de UTI estão lotados. Mais de 6 mil pacientes esperam por uma vaga

Na última quinta-feira (25), de acordo com o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), 6.370 brasileiros com Covid-19 estão à espera de um leito de UTI no país. Conforme os dados das secretárias, os estados mais afetados são São Paulo, com 1.500 pessoas na fila; Minas Gerais quase 714 pessoas; Rio de Janeiro 582 e Paraná 501 pessoas a espera de um leito.

Em entrevista, o presidente do Conass, Carlos Lula, ressalta.

“Hoje, mais de 6 mil pacientes esperando leito de UTI’s. Isso significa o colapso do sistema de saúde, isso significa que a gente chegou ao limite.

É imaginar que a gente não deve ter mais do que 20 mil pessoas internadas, isso significa pelo menos um terço de pessoas, um terço do total de leitos disponíveis hoje aguarda fora de um leito de UTI uma vaga para a unidade de terapia intensiva.

Isso vai significar que a gente vai perder pacientes na fila de espera, que não vão ter chance de ter acesso a um leito de UTI pra tentar salvar sua vida”, disse Carlos Lula.

Apesar de vários estados e municípios do país investirem na abertura de novos leitos, o sistema não está conseguindo suprir a quantidade de infectados. No Brasil já foram 12,3 milhões de infectados, 303 mil mortes. Somente em 24 horas foi registrado 100,1 mil casos e 2,7 mil mortes. Já o total de recuperados são 10,8 milhões de pessoas.

“É a total negação de direitos nesse momento. É assim, é o estado dizendo: olha, eu não tenho mais condição de te ajudar. E a gente não pode admitir isso.

É exatamente o contrário do que prega a Constituição que diz que a saúde é um direito de todos e dever do estado, Um dever do estado. É o dever que a gente não tá conseguindo cumprir nesse momento”, afirmou o presidente da Conass.

O Ministério da Saúde afirmou que, desde o inicio da pandemia, tem prestado apoio irrestrito aos estados, municípios e Distrito Federal sobre a superlotação dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva. E que nesse ano, a autorização de custeio permitiu a abertura de doze mil e duzentos leitos de UTI em todo o país.

Leia também

 

Comentários