Coronavírus

Variante britânica aumenta risco de morte em 61%

diario da manha

A nova variante do coronavírus, conhecida como B.1.1.7, pode estar associada a um aumento de mortes. Detectada pela primeira vez no Reino Unido, a variante pode ter um aumento de 61% de risco em adultos. O estudo foi publicado na última segunda feira (15).

Nicholas Davis, da Escola de Higiene e Medicina Tropical em Londres, dirigiu uma equipe de cientistas neste estudo. Contudo, chegaram nessa conclusão após analisarem 2.245.263 casos positivos de infecção com o coronavírus SARS-CoV-2. Utilizaram também cerca de 17.452 mortes por Covid-19 como referência.

Até o momento estava comprovada que a B.1.1.7 era assim como as outras variantes mais transmissível. No entanto, com essa nova informação sobre seu nível de mortalidade, ela requer ainda mais estudos. De acordo com os investigadores essa variante requer mais cuidados na gestão da pandemia, por poder gerar mais consequências.

Contudo, outras variantes podem ter características parecidas com a britânica. Segundo os pesquisadores um modelo para corrigir a possível identificação errónea da B.1.1.7 já foi criada. Atualmente a variante do Reino Unido já está em muitos países do mundo, e pode ser associada a um risco de morte acrescido em 61%.

“O nosso estudo sugere que a B.1.1.7 não só é mais transmissível dos que as outras variantes preexistentes de SARS-CoV-2, como também pode causar uma doença mais grave”, apontaram.

Leia também:

Comentários