Coronavírus

Covid-19: mais de 46 mil goianos deveriam ter recebido 2º dose da vacina

Idosa procurou posto de vacinação e não recebeu a segunda dose

diario da manha
Doctor drawing up Covid-19 vaccine from phial bottle and filling syringe injection for vaccination. Close up of hand with blue surgical gloves taking sars-coV-2 vaccine dose from vial with syringe. (Doctor drawing up Covid-19 vaccine from phial bottl

Em Goiás, cerca de 46.240 pessoas já deveriam ter tomado a 2ª dose da vacinas contra a Covid-19. Porém, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), todas essas pessoas não procuraram os postos de vacinação. O Ministério da Saúde (MS) alertou ainda que, no Brasil os números chegam à 1,5 milhão.

De acordo com a pasta, essas pessoas “ainda não retornaram para aplicação do reforço” e que, “conforme orientado pelo MS, o Estado de Goiás tem mantido a reserva da segunda dose para todas as pessoas que já foram vacinadas”.

No entanto, o relato do motorista Fábio Renato Ferreira Paiva, chama a atenção. Ele contou que a avó dele, que mora em Pontalina, tomou a CoronaVac há um mês, procurou o posto de vacinação, mas não conseguiu receber a 2ª dose. Ele ainda informou que ela obteve a informação de que não tinha vacina disponível. Assim que souberam, ficaram bastante preocupados. “Não sei qual o efeito dessa vacina depois dos 28 dias”, reclamou.

A Prefeitura de Pontalina ainda não se pronunciou sobre o caso da avó de Fábio. O G1, questionou a SES sobre essa denúncia e aguardam retorno para saber se o caso é isolado ou se há outros relatos similares, o que deve ser feito diante dessa situação e se o atraso prejudica a imunização.

Os últimos dados informaram que Goiás recebeu 1.370.130 doses de vacinas para imunizar os grupos prioritários, sendo 1.110.680 da CoronaVac e 259.450 da AstraZeneca. A SES informou que foram aplicadas 638.507 doses como 1ª e outras 185.428 como reforço.

Sobre as vacinas

Para melhor resultado da vacina da AstraZeneca, é recomendada que o intervalo entre a primeira e a segunda doses seja de três meses. Para a CoronaVac, o melhor resultado, de acordo com os estudos, ocorre quando a segunda dose é aplicada em um intervalo de 21 a 28 dias.

Especialistas acreditam que a segunda dose é essencial para completar a imunização contra o coronavírus. O microbiologista, Atila Iamarino, explicou que o corpo precisa desse reforço no período adequado para se fortalecer contra a doença.

Segundo a SES, o estado já soma 13.063 mortes pela doença desde o início da pandemia, há pouco mais de um ano. A pasta também calcula que a doença já contaminou 513.496 pessoas em Goiás.

Comentários