Coronavírus

Mês de março registrou 48% de óbitos em todo país por Covid-19

Março foi o mês mais letal da pandemia no Brasil, onde foram registrados 75.780 mil óbitos por complicações da Covid-19 nos Cartórios de Registro Civil

diario da manha

Um levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) mostra que, no mês de março de 2021, 48% dos óbitos no Brasil foi em decorrência da Covid-19.

Março foi o mês mais letal da pandemia no Brasil, onde foram registrados 75.780 mil óbitos por complicações da Covid-19 nos Cartórios de Registro Civil. Estes dados foram atualizados na última segunda-feira (12), e representam 48% dos 172.211 óbitos por doenças registrados no sistema.

”Os dados de óbitos feitos pelos Cartórios no mês de março foram o maiores já registrados na história, o que sem dúvida nenhuma demonstra o grau de letalidade desta doença, que foi responsável por quase metade dos falecimentos por causas naturais no país”, afirma Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen.

A porcentagem é quase o dobro de registros do mês de fevereiro deste ano, quando as mortes por Covid-19 representavam 25,4% dos óbitos pela a doença.

De acordo com o presidente da instituição, os números são importantes para a criação de novas estratégias de enfrentamento a crise sanitária que afeta o país. ”Os dados reforçam a necessidade de seguirmos com o trabalho de transparência na prestação de informações à sociedade e ao poder público para que possam ser postas as estratégias para sairmos dessa crise”, disse Gustavo.

De acordo com a instituição, historicamente, nascem 137 mil crianças a mais que a quantidade de óbitos registrados mensalmente. No mês passado, o número de nascimentos caiu para 48.086, uma redução de 90 mil em relação à média histórica.

”O número de óbitos registrados no mês de março de 2021 ainda pode vir a aumentar, assim como o número de nascimentos e a variação das médias e da comparação entre nascimentos e óbitos para o período, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o falecimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência”, alerta a organização.

Comentários