Coronavírus

Após sugestão do Governo de Goiás, Ministério da Saúde muda estratégia de vacinação contra a Covid-19

Com a decisão, Goiás adota a estratégia de vacinação segundo a faixa etária em ordem decrescente de idade, garantindo o percentual para continuidade da imunização dos demais grupos prioritários.

diario da manha
Foto: Iron Braz

Nas próximas remessas de doses que chegarem aos estados, 70% serão destinadas para a população geral, iniciando com as pessoas de 59 anos, e 30% para os grupos prioritários. Decisão foi pactuada em reuniões com gestores municipais, estaduais e federais na tarde desta quinta-feira (27/05).

“Uma grande mudança foi feita, graças às ações do Governo de Goiás, e como resultado temos uma maior capacidade de atendimento de toda população”, comemorou o governador Ronaldo Caiado.

Com a decisão, Goiás adota a estratégia de vacinação segundo a faixa etária em ordem decrescente de idade, garantindo o percentual para continuidade da imunização dos demais grupos prioritários. “A sua hora de vacinar vai chegar”, celebrou Caiado nas redes sociais. Goiás está entre os estados que propuseram e defenderam a ampliação da campanha de vacinação contra a Covid-19 por faixa etária.

A Comissão Intergestores Tripartite (CIT), que reúne representantes do Ministério da Saúde e das Secretarias estaduais e municipais de Saúde, aprovou, nesta quinta-feira (27), uma mudança na estratégia de vacinação contra a Covid-19. A partir da próxima remessa enviada aos estados, 70% das doses serão destinadas para a população em geral, iniciando com as pessoas de 59 anos. O restante, 30%, será para os grupos prioritários.

Por causa da decisão nacional, foi convocada uma reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) goiana, no fim da tarde de quinta-feira (27), para confirmar a nova medida. O assunto foi debatido e novamente aprovado. Para a população geral, a vacinação começa com as pessoas de 59 anos, e avança em ordem decrescente de idade, até que toda a população acima de 18 anos esteja vacinada.  

Na CIB goiana, que reuniu mais de 200 gestores e representantes da saúde, o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, explicou que nesta semana o assunto também foi debatido em reunião do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), onde é vice-presidente. “Nossa defesa foi para levar, de forma concomitante, os grupos prioritários em paralelo com a população geral em ordem decrescente de idade”, explicou.

“Isso contempla professores e todos que lutavam para ter acesso às vacinas. A sua hora de vacinar vai chegar”, lembrou o governador Ronaldo Caiado. Com a medida, a expectativa é dar um novo ritmo na vacinação em Goiás, agilizando a campanha e usando eventuais doses que podem estar armazenadas por baixa demanda.

Há algum tempo essa pauta já era debatida entre a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Cosems-GO). “Iniciamos a conversa sobre essa possibilidade a partir do momento que começamos a receber dos gestores municipais relatos de dificuldades para vacinação de alguns grupos, como o de comorbidades”, lembrou a presidente do Cosems Goiás, Veronica Savatin.

Já a superintendente de Vigilância em Saúde de Goiás, Flúvia Amorim, explicou que “operacionalmente, quando a pessoa procurar um local para se vacinar deverá apresentar somente o documento de identificação pessoal comprovando a idade”. Ela reforçou ainda que “na questão epidemiológica, os dados apontam que quanto maior a idade, maior é o risco de casos graves, internações e óbitos”. 

Nos próximos dias, o Ministério da Saúde vai emitir uma Nota Técnica com informações para orientação dos estados e municípios sobre o assunto. Além disso, a CIB goiana também publicará a Resolução que define a proporção de doses destinadas para cada público, garantindo o percentual para continuidade da vacinação dos demais grupos prioritários.

Comentários