Coronavírus

Estudo da UFMG já identificou 68 bebês nascidos com anticorpos para covid-19

Segundo os resultados preliminares, a maioria das mães que se infectaram pelo Sars-Cov-2 durante a gestação podem passar anticorpos para os bebês por meio da transferência placentária

diario da manha

Um estudo da Faculdade de Medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) identificou 68 bebês nascidos com anticorpos para covid-19. Segundo os resultados preliminares, a maioria das mães que se infectaram pelo Sars-Cov-2 durante a gestação podem passar anticorpos para os bebês por meio da transferência placentária.

Dois casos já haviam sido registrados no Brasil, um deles, aconteceu no Acre, onde o bebê nasceu com anticorpos, sendo que a mãe não havia sido infectada pela covid-19 e em Santa Catarina houve um caso em que a mãe havia sido vacinada contra a doença.

Apesar desses casos reportados, o tema ainda levanta dúvidas, como o tempo de duração da proteção. Essa é uma das perguntas que o estudo mineiro procura responder.

Pesquisa

A pesquisa utiliza o teste do pezinho e testagem das mães para identificar a infecção. Até agora foram testadas 506 mães e bebês. O objetivo é chegar a 4 mil mães testadas nos cinco municípios participantes da pesquisa: Uberlândia, Contagem, Itabirito, Ipatinga e Nova Lima.

Ao Uol, a professora do departamento de pediatria da faculdade, Cláudia Lindgren explicou que “a confirmação da passagem de anticorpos da mãe para o bebê durante a gravidez pode ajudar a planejar o momento ideal para vacinação dos bebês contra a covid”.

Ainda segundo ela, em outras infecções, como no sarampo por exemplo, já se sabe que os anticorpos maternos reduzem a eficácia da vacina contra sarampo, e por isso ela é feita mais tardiamente.

Os casos positivos serão acompanhados por dois anos, para avaliar se haverá consequências da infecção das mães para o desenvolvimento das crianças. Um grupo de controle, com mães e bebês com resultados negativos, também será acompanhado.

Nenhuma das mães participantes do estudo havia sido vacinada para covid-19. Os municípios participantes foram escolhidos com base em critérios como a taxa de prevalência de covid-19, o número de nascimentos por mês e a existência de rede de apoio para eventual necessidade de reabilitação das crianças com alterações nos testes de neurodesenvolvimento.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.com.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários