Brasil

Mulher que recebeu coração de Eloá Pimentel morre de covid-19, “Foram anos difíceis, diz Sobrinha

A sobrinha Jeanne Carlas disse que a tia já vinha sofrendo com complicações de saúde

diario da manha
Mulher que recebeu coração de Eloá morre de covid-19 em SP Foto/Reprodução - Istoé

Maria Augusta dos Anjos, de 51 anos, morreu na noite da segunda-feira (4) , vítima da Covid-19. Ela estava internada e intubada após complicações decorrentes do coronavírus em um hospital particular em São Paulo.

A mulher teve o diagnóstico positivo para a doença a cerca de um mês. Ela nasceu com uma doença grave no coração e recebeu o órgão em 2008, após a jovem de 15 anos mantida refém e morta pelo ex-namorado Lindemberg Fernandes, em Santo André, na região metropolitana de São Paulo, durante o maior sequestro já registrado pela Polícia Militar, que durou cerca de quatro dias.

Desde o fim de abril, Maria estava internada no hospital Santa Terezinha, em Parauapebas (PA). Conforme a família, ela estava com cerca de 75% do pulmão comprometido. A morte dela foi confirmada pela sobrinha Jeanne Carla Rodrigues em uma rede social.

Minha tia Augusta viveu 51 anos, “Foram anos difíceis, cheios de batalhas e grandes vitórias”, diz a sobrinha Jeanne Carlas.
Foto/Reprodução – Record TV

“Ligaram do hospital e hoje foi o dia escolhido: Nosso Pai celestial recolheu a Augusta para a vida eterna, para morar ao seu lado, para abraçá-la e dizer ‘Ah filha, que bom que você chegou, vem aqui perto do Papai’. Hoje, chegou ao fim todo seu sofrimento, sem remédios, sem cirurgias, sem agulhas, sem máquinas… apenas a grandiosa face de Deus!”, escreveu Jeanne.

“Foram anos difíceis, cheios de batalhas e grandes vitórias”, diz a sobrinha Jeanne Carlas, nas redes sociais. “Foi muito sofrimento pra ela, pro vovô, para vovó, para os irmãos, para todos os familiares, mas principalmente para a Augusta”, escreveu. 

Augusta fazia parte do grupo de risco para a covid-19. Ela nasceu com uma doença grave no coração e recebeu o órgão após a jovem de 15 anos ser baleada pelo ex-namorado, Lindemberg Alves, em 2008, durante o maior sequestro já registrado pela Polícia Militar, que durou cerca de quatro dias, no interior de São Paulo.

Morte de Eloá

No dia 13 outubro de 2008, Lindemberg entrou no apartamento da ex-namorada Eloá Pimentel, de 15 anos, e fez ela, dois amigos e Nayara, então com 16 anos, como reféns. Eles estavam reunidos para fazer um trabalho de escola. No mesmo dia, os dois amigos foram libertados.

Nayara foi libertada no dia seguinte e Eloá passou a ficar sozinha em poder do sequestrador. Em uma ação surpreendente, dois dias depois, a garota foi levada ao apartamento pelos policiais que conduziam as negociações, numa tentativa de forçar a rendição de Lindemberg. A ação foi criticada por especialistas e o desfecho foi trágico.

No dia seguinte, sem sucesso nas negociações, um tiro foi disparado dentro do apartamento e os policiais decidiram invadir o local. Outros tiros foram disparados.

Nayara saiu andando com um pano cheio de sangue cobrindo o rosto. A amiga Eloá saiu carregada e morreu no hospital no dia seguinte. Lindemberg foi preso e condenado, em 2012, a 98 anos e 10 meses de reclusão pela morte de Eloá e outros 11 crimes.

*Com informações do Folha Vitoria e Istoé

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários