Coronavírus

Governo Federal recusou vacinas da Pfizer pela metade do preço, diz jornal

Oferta de vacina da Pfizer a US$ 10 foi recusada pelo Brasil, valor é metade do que pagaram EUA, Reino Unido e União Europeia por cada dose do imunizante

diario da manha

O presidente da República além de demorar a responder os e-mails de ofertas de vacina da Pfizer, chegou a recusar uma oferta do laboratório, para adquirir o imunizante pela metade do preço pago pelo Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia.

A informação foi divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, e mostra que em 2020, o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, considerou a vacina cara em agosto, e que 70 milhões de doses poderiam ter sido entregues até dezembro do ano passado ao Brasil, com valor de US$ 10 a unidade.

Com isso, o Brasil poderia ter antecipado a vacinação e evitado não apenas as mortes, mas prejuízos ao setor econômico. De acordo com a publicação, em 2020 o Brasil teve um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 7,4 trilhões e que agora os R$ 30 bi previstos pelo ministério da Saúde para a vacinação são equivalente a um dia e meio de lockdown em todo o país, sem contar com domingos e feriados.

A reportagem lembra também que o valor é igual a 10% do auxílio emergencial pago no ano passado, e menos do que os R$ 44 bilhões previsto para este ano, para compensar o fechamento da economia no país.

Vale lembrar que EUA e Reino Unido vacinaram 40% com as duas doses da vacina, e já mostram sinais de voltar a normalidade. Os dois países pagaram US$ 20 pelas vacinas da Pfizer, o dobro do valor que o Brasil se recusou a pagar durante vários meses. A reportagem mostra ainda que a União Europeia por exemplo pagou US$ 18,60 por cada dose do imunizante.

*Com informações da Folha de São Paulo

Leia também:

Comentários