Coronavírus

Bolsonaro pressiona Queiroga para fim do uso da máscara no Brasil

Além disso, Bolsonaro voltou a atacar as vacinas, questionando sua eficácia

diario da manha
(Brasília - DF, 20/05/2020) O presidente Jair Bolsonaro ( Sem Mascara) presidentes da Camara e do Senado durante Videoconferência com Governadores dos Estados. Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que vai solicitar ao ministro da saúde, Marcelo Queiroga, uma data para que a utilização de máscaras de proteção contra Covid-19 deixe de ser obrigatória.

Bolsonaro havia dito em uma entrevista que, com a maior parte da população vacinada ou que já teve Covid-19, o uso de máscara seria desnecessário e já havia pedido ao ministro um estudo sobre o tema.

Na contramão da fala do presidente, evidências científicas mostram que mesmo quem já está vacinado ou já pegou a doença, pode ser infectado e transmitir o vírus para outras pessoas que ainda não foram imunizadas.

O Brasil está perto de 60% da população com ao menos uma dose da vacina aplicada, enquanto que apenas 25% já tomou as duas doses.

Bolsonaro voltou a atacar as vacinas, questionando sua eficácia e afirmando que são experimentais. Além disso, atacou a vacina chinesa CoronaVac, sem citá-la nominalmente, declarando que pessoas estão ficando doentes mesmo com as duas doses e que o Instituto Butantan, fabricante da vacina no Brasil, e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) “terão que responder sobre isso”.

Até o momento, pesquisas comprovam que a CoronaVac tem se mostrado eficaz em prevenir casos graves e mortes, porém o elevado grau de circulação do vírus no país não inibe a contaminação, e pessoas com comorbidades ou idosas correm um risco maior, mesmo vacinadas com qualquer um dos imunizantes disponíveis.

Leia também

Comentários