Coronavírus

EUA: governo pode recomendar nesta semana doses de reforço de vacina contra covid

A dose de reforço seria aplicada oito meses após a segunda dose da vacina, segundo as mesmas fontes

diario da manha
Por Redação

O governo de Joe Biden deve anunciar que americanos que foram totalmente vacinados contra a covid-19 deveriam receber uma dose de reforço para garantir proteção contínua, de acordo com fontes familiarizadas com as discussões. A dose de reforço seria aplicada oito meses após a segunda dose da vacina, segundo as mesmas fontes.

Oficiais seniores da área de saúde do governo Biden têm discutido há semanas a possibilidade de recomendar as doses de reforço, e estão próximos a um acordo em torno do tema, segundo as fontes, que afirmaram ainda que uma decisão final não foi tomada. Um anúncio formal pode ser feito nesta semana.

The Wall Street Journal informou neste mês que a gestão democrata preparava uma estratégia de reforço vacinal, e que as doses poderiam se tornar necessárias em poucas semanas para aqueles que foram os primeiros a se vacinar nos Estados Unidos.

A Pfizer e a BioNTech, que produzem uma das vacinas de duas doses contra a covid-19, buscam autorização da US Food and Drug Administration (FDA, o órgão regulador americano para medicamentos) para a aplicação de doses de reforço no público em geral. Se a FDA permitir a aplicação, as primeiras doses poderiam ser distribuídas em setembro, de acordo com fontes, período em que os primeiros americanos que foram vacinados contra a doença completarão a janela de oito meses.

A Pfizer é a mais avançada no pedido. A Moderna, que também produz uma vacina aplicada em duas doses, afirmou que planeja solicitar autorização para a aplicação de doses de reforço de seu imunizante no próximo mês. A Johnson & Johnson, que produz uma vacina aplicada em dose única, deve divulgar dados de eficácia da aplicação de duas doses do imunizante ainda neste mês.

As discussões sobre a necessidade de doses adicionais das vacinas contra a covid ganharam corpo em meio à alta nas infecções pela doença causadas pela variante delta. Embora casos em pessoas totalmente vacinadas sejam raros, alguns dados indicam que a imunidade trazida pelas vacinas cai ao longo do tempo.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Leia também:

Comentários